21/09/2004

CHIMARRÕES MOFADOS

Viva! Agora é oficial e eu já posso espalhar. "A Morte Sem Nome" está sendo editada em Portugal, pela Editora Palavra. Estou ansioso para ver como eles vão vestir Lorena por lá. Assim começa minha carreira internacional. Vamos ver quando os Euro$ começam a pingar no meu cofrinho.

Voltando aos trópicos, hoje tive uma conversa muito legal com o (cineasta) Guilherme de Almeida Prado. Ele está filmando "Onde Andará Dulce Veiga", roteiro dele sobre argumento do Caio Fernando Abreu. Me contou grandes histórias do Caio, da amizade dele com a Adriana Calcanhotto e como ficou a questão dos direitos autorais depois da morte (eu andava muito curioso, já que praticamente todos os livros dele estão esgotados no Brasil. Também preciso já ir pensando nessa questão - de herança literária - porque fui castrado aos 12 anos, quando cantava num coro de meninos, e dificilmente terei filhos).

Falando em Caio, me lembro que a cuia do meu chimarrão está irremediavelmente mofada. Agora, quando tomo o mate, vira praticamente um chá de cogumelo. Mas nós fomos criados com Mario Bros pra isso...

Hoje também recebi aqui em casa o livro da Vange Leonel. "Balada para as Meninas Perdidas". A Vange bem que poderia ser uma Beat Brasileira, não?


LEVE NEVE

Com minha herdeira, a Trevosinha Valentina.  Lançamento ontem em São Paulo. São Paulo é o que conta - é minha casa, minha base, daqui...