13/12/2004

MALDIÇÕES DE BERÇO

Já podem ir marcando na agenda. O lançamento do meu terceiro romance, "Feriado de Mim Mesmo" (Ed Planeta) está marcado para dia 29/03/05, na Casa do Saber, em SP. E em maio na Bienal do Rio.
Aqui em SP, farei o lançamento com a minha mãe, Elisa Nazarian, que estará lançando "Resposta", seu primeiro livro, pela Atelier Editorial. O livro dela é um longo poema em prosa poética sobre as contradições de um relacionamento homem-mulher. Eu assino a orelha. Mais pra frente eu coloco o texto aqui.

Por enquanto, vai a minha lista dos "favoritos do terror e suspense":

"Halloween" de John Carpenter (EUA) -1978
Um clássico. É o filme que deu sequência a "Jasons", "Freddys" e outros monstros mascarados. É lento, meio sem sentido, mas com um clima todo especial. Trama: assassino mascarado mata mulheres gostosonas na noite de Halloween. Só isso. E já tá ótimo. Eu tenho o cd com a trilha aqui, que tem quase todo o áudio do filme, as falas, os gritos e tudo mais. Ótimo para os vizinhos ficarem com suspeitas em relação a mim.

"A Nightmare on Elm Street" de Wes Craven (EUA) -1984
O filme que criou Freddy Krueger! E que me criou na adolescência também. Eu adorava. Ainda adoro. Ainda quero uma luvinha decente do Freddy (vocês podem colocar na lista de compras de Natal). A idéia do monstro que ataca nos pesadelos é simples e ótima, não é a toa que gerou 7 continuações. E eu torci pro Freddy quando ele lutou com o Jason.

"Rosemary’s Baby" de Roman Polansky (EUA) -1968
O filme que criou Charles Manson! Sataníssimo, maleficíssimo, funestíssimo! Nunca mais comi uma mousse de chocolate da mesma forma (e também aprendi a expressão "undertaste" com esse filme). O mais legal foi uma versão dublada em francês e legendada em espanhol (ou ao contrário?) que eu vi em Paris, numa noite escabrosa...

"Tesis – Morte ao Vivo"de Alejandro Almenabar (Espanha) -1996
Parece que o Almenabar dirigiu esse filme quando tinha 22 anos, ou algo assim. Depois ficou famoso, rico, foi pra Hollywood, mas não perdeu a mão (dirigiu "Os Outros", com a Nicole Kidman). Este filme é uma peróla sobre produções "snuff" (aquelas em que se tortura e mata pessoas de verdade). Uma garota que faz uma tese de faculdade sobre "violência nos meios de comunicação" acaba descobrindo um fita dessas e investiga de onde veio. Um grande filme de suspense, em que você fica até o fim na dúvida sobre "quem é o culpado".

"O que Aconteceu com Baby Jane" de Robert Aldrich (EUA) - 1962
"Misery", o filme baseado no livro de Stephen King, parece uma nova versão desse, não? A história de duas irmãs que foram atrizes famosas, uma na infância e outra mais recentemente, mas que se encontram decadentes, morando juntas e combatendo seus fantasmas. Bete Davis está magnífica como a pré-Macaulay Culkin, haha. Show de bola.

"O Chamado" de Gore Verbinski (EUA) - 2002
Ah, todo mundo sabe que sou fã desse filme. Aliás, sou fã do Verbinski também. Aquele outro filme dele, "Os Piratas do Caribe", também é divertidíssimo, lindíssimo, tudo o que se espera de um filme de pirata. Este é mais do que eu esperava de um filme de terror. Trouxe novas imagens para o gênero, a essa altura do campeonato. A figura da menina com o cabelo cobrindo o rosto já está sendo copiado em outros filmes. Tudo bem que é uma refilmagem de um filme japonês, mas eu prefiro mesmo essa versão americana, que é mais racional, mais assustadora e com uma direção de arte mil vezes superior.

"O Massacre da Serra Elétrica" de Tobe Hopper (EUA) - 1974
Filme totalmente insano sobre uma família de canibais. Tem uma refilmagem de 2003, mas ainda não estreou no Brasil e eu nunca vi. O original é antológico, podreira mesmo. Ainda assim, não apela para a escatologia nem para cenas de gore explícito. Tá tudo na loucura da trama, como no personagem do "vovô" que é praticamente uma múmia e se alimenta de sangue humano.

"The Evil Dead" de Sam Raimi (EUA) - 1981
Um dos mais assustadores que eu já vi. Foi feito de maneira amadora, por um grupo de amigos de vinte e poucos anos. A história é das mais banais. Jovens numa cabana no meio da floresta são possuidos por demônios e começam a se matar uns aos outros. Mas o filme é tão escabroso, tão sangrento e tão neurótico que se torna obra de arte. E hoje em dia o diretor está fazendo "homens-aranhas" e afins.

"Audition" de Takeshi Miike (Japão) - 1999
Ah, já falei demais desse filme. Taí: mezzo-comédia romântica, mezzo-terror terrível medonho. Um cineasta viúvo faz testes com atrizes para um suposto filme, mas na verdade ele procura uma esposa, e acaba encontrando uma garota linda, tímida e disponível. Conforme o romance vai avançando, a menina se revela uma louca psicótica que corta membros (línguas, dedos, pés) de seus amantes e os mantém presos dentro de um saco. Cenas explícitas, sim, de arrepiar.

"Funny Games" de Michael Haneke (Áustria) – 1998.
Esse filme é outro chumbaço. Poderia entrar na minha lista dos mais pesados. É só sordidez, violência e desesperança. Dois jovens torturam uma família, de todas as formas possíveis, durante um final de semana. O filme ainda tem toques de metalingüagem e ironia. E sei lá mais o que. Ah, vou alugar "A Pequena Sereia".


DIA DA CRIANÇA

Feriado de Dia das Crianças - embora alguns insistam que é dia da Nossa Senhora Aparecida, como se o Brasil não fosse um país laico... V...