13/12/2004

MALDIÇÕES DE BERÇO

Já podem ir marcando na agenda. O lançamento do meu terceiro romance, "Feriado de Mim Mesmo" (Ed Planeta) está marcado para dia 29/03/05, na Casa do Saber, em SP. E em maio na Bienal do Rio.
Aqui em SP, farei o lançamento com a minha mãe, Elisa Nazarian, que estará lançando "Resposta", seu primeiro livro, pela Atelier Editorial. O livro dela é um longo poema em prosa poética sobre as contradições de um relacionamento homem-mulher. Eu assino a orelha. Mais pra frente eu coloco o texto aqui.

Por enquanto, vai a minha lista dos "favoritos do terror e suspense":

"Halloween" de John Carpenter (EUA) -1978
Um clássico. É o filme que deu sequência a "Jasons", "Freddys" e outros monstros mascarados. É lento, meio sem sentido, mas com um clima todo especial. Trama: assassino mascarado mata mulheres gostosonas na noite de Halloween. Só isso. E já tá ótimo. Eu tenho o cd com a trilha aqui, que tem quase todo o áudio do filme, as falas, os gritos e tudo mais. Ótimo para os vizinhos ficarem com suspeitas em relação a mim.

"A Nightmare on Elm Street" de Wes Craven (EUA) -1984
O filme que criou Freddy Krueger! E que me criou na adolescência também. Eu adorava. Ainda adoro. Ainda quero uma luvinha decente do Freddy (vocês podem colocar na lista de compras de Natal). A idéia do monstro que ataca nos pesadelos é simples e ótima, não é a toa que gerou 7 continuações. E eu torci pro Freddy quando ele lutou com o Jason.

"Rosemary’s Baby" de Roman Polansky (EUA) -1968
O filme que criou Charles Manson! Sataníssimo, maleficíssimo, funestíssimo! Nunca mais comi uma mousse de chocolate da mesma forma (e também aprendi a expressão "undertaste" com esse filme). O mais legal foi uma versão dublada em francês e legendada em espanhol (ou ao contrário?) que eu vi em Paris, numa noite escabrosa...

"Tesis – Morte ao Vivo"de Alejandro Almenabar (Espanha) -1996
Parece que o Almenabar dirigiu esse filme quando tinha 22 anos, ou algo assim. Depois ficou famoso, rico, foi pra Hollywood, mas não perdeu a mão (dirigiu "Os Outros", com a Nicole Kidman). Este filme é uma peróla sobre produções "snuff" (aquelas em que se tortura e mata pessoas de verdade). Uma garota que faz uma tese de faculdade sobre "violência nos meios de comunicação" acaba descobrindo um fita dessas e investiga de onde veio. Um grande filme de suspense, em que você fica até o fim na dúvida sobre "quem é o culpado".

"O que Aconteceu com Baby Jane" de Robert Aldrich (EUA) - 1962
"Misery", o filme baseado no livro de Stephen King, parece uma nova versão desse, não? A história de duas irmãs que foram atrizes famosas, uma na infância e outra mais recentemente, mas que se encontram decadentes, morando juntas e combatendo seus fantasmas. Bete Davis está magnífica como a pré-Macaulay Culkin, haha. Show de bola.

"O Chamado" de Gore Verbinski (EUA) - 2002
Ah, todo mundo sabe que sou fã desse filme. Aliás, sou fã do Verbinski também. Aquele outro filme dele, "Os Piratas do Caribe", também é divertidíssimo, lindíssimo, tudo o que se espera de um filme de pirata. Este é mais do que eu esperava de um filme de terror. Trouxe novas imagens para o gênero, a essa altura do campeonato. A figura da menina com o cabelo cobrindo o rosto já está sendo copiado em outros filmes. Tudo bem que é uma refilmagem de um filme japonês, mas eu prefiro mesmo essa versão americana, que é mais racional, mais assustadora e com uma direção de arte mil vezes superior.

"O Massacre da Serra Elétrica" de Tobe Hopper (EUA) - 1974
Filme totalmente insano sobre uma família de canibais. Tem uma refilmagem de 2003, mas ainda não estreou no Brasil e eu nunca vi. O original é antológico, podreira mesmo. Ainda assim, não apela para a escatologia nem para cenas de gore explícito. Tá tudo na loucura da trama, como no personagem do "vovô" que é praticamente uma múmia e se alimenta de sangue humano.

"The Evil Dead" de Sam Raimi (EUA) - 1981
Um dos mais assustadores que eu já vi. Foi feito de maneira amadora, por um grupo de amigos de vinte e poucos anos. A história é das mais banais. Jovens numa cabana no meio da floresta são possuidos por demônios e começam a se matar uns aos outros. Mas o filme é tão escabroso, tão sangrento e tão neurótico que se torna obra de arte. E hoje em dia o diretor está fazendo "homens-aranhas" e afins.

"Audition" de Takeshi Miike (Japão) - 1999
Ah, já falei demais desse filme. Taí: mezzo-comédia romântica, mezzo-terror terrível medonho. Um cineasta viúvo faz testes com atrizes para um suposto filme, mas na verdade ele procura uma esposa, e acaba encontrando uma garota linda, tímida e disponível. Conforme o romance vai avançando, a menina se revela uma louca psicótica que corta membros (línguas, dedos, pés) de seus amantes e os mantém presos dentro de um saco. Cenas explícitas, sim, de arrepiar.

"Funny Games" de Michael Haneke (Áustria) – 1998.
Esse filme é outro chumbaço. Poderia entrar na minha lista dos mais pesados. É só sordidez, violência e desesperança. Dois jovens torturam uma família, de todas as formas possíveis, durante um final de semana. O filme ainda tem toques de metalingüagem e ironia. E sei lá mais o que. Ah, vou alugar "A Pequena Sereia".


UM ANO TREVOSO

Saindo do poço... Não foi fácil para ninguém, não se engane. Não foi fácil para mim. Estava revendo há pouco minhas retrospectivas de a...