09/04/2005

QUEREM ACABAR COMIGO, ROBERTO

Ai, ai... que dor.

Saiu hoje resenha na Folha de São Paulo. Não é positiva. Tem alguns pontos legais, dá até para extrair um trecho "benéfico" para minha página do "Feriado" (se é esse o jogo), mas, no geral, a resenha afunda o livro. O que ferra são aquelas duas estrelas no final, que resumem tudo.

Quem assina é Marçal Aquino, que eu conheço pessoalmente - inclusive somos representados pela mesma agente internacionalmente. Não é uma crítica maldosa, apesar de certo tom "jocoso" com os problemas de revisão do livro. Ironicamente, ele coloca o final do livro como o ponto alto: "Quem persistir, será recompensado: em seu terço final, a novela ganha outra dimensão e vigor inesperado, revelando sua verdadeira natureza. Um thriller claustrofóbico."

Bem, é isso. Não dá para ser unânime. Dói mais por ser a primeira. Sim, essa é a PRIMEIRA crítica negativa que recebo de um livro meu. Não que os anteriores fossem perfeitos, mas quem não gostava não devia sentir necessidade de criticar um autor iniciante. Agora acabou a mamata.

Para completar, "O Globo" publicou uma matéria quase de página inteira sobre mim. É, sobre mim, não há resenha do "Feriado", eles apenas contam ligeiramente a história. Quem assina é Eduardo Simões, que fez uma longa entrevista comigo por telefone. Ele foi bem preciso em condensar tudo o que eu disse na matéria. Mas, no final das contas, acaba vendendo mais o personagem "Santiago Nazarian" do que o livro. Fora que a foto ficou esquisitíssima...

Mas tá valendo. Ele foi querido.

Vou tentar esquecer de tudo comendo gelatina. Ou lembrar de uma festa em que fui ontem, depois do lançamento do CD do Lastpain, na qual um coelho (é, coelho), ficou pulando entre as pessoas na pista e subindo no meu colo. Acho que ele pensava que era um gato. A esquizofrenia chegou aos animais.

VIVA LA RESISTENCIA

Do alto de Medellin.  Voltando da Colômbia, após cinco dias em Medellin, numa daquelas viagens mais proveitosas do que divertidas. Via...