09/05/2005

MINHA CASA PEGOU FOGO

"Feriado de Mim Mesmo, apesar de apresentar a mesma atmosfera claustrofóbica e delirante das anteriores, não pertence ao círculo encantatório que consagrou Santiago Nazarian como um dos melhores prosadores surgidos na virada do século." – Nelson de Oliveira/Estado

Vai, chuta, chuta o gato morto pra ver se mia! Crítica que saiu ontem sobre "Feriado" no Estadão. Como vocês podem ver, não é inteiramente negativa, mas eu não gostei. Eles até erraram meu sobrenome no título da matéria. É um pouco demais, não é?

Já saíram as visões mais opostas sobre meu livro na mídia. E isso só deixa claro que não dá para levar crítica tão a sério. Agora eu só levo a sério quando falam bem, haha.

Mudando de assunto, entreguei hoje um conto para o Marcelo Moutinho, que está organizando uma antologia de contos baseados em poemas. O meu é baseado no poema simbolista do Alphonsus de Guimaraens, "Ismália". Acabou se tornando meu conto mais extenso, depois de "A Mulher Barbada", de Parati. Também tem um certo parentesco com esse último. Novamente eu escrevo em primeira pessoa feminina, mas nada como "A Morte Sem Nome". "Ismália" é meu primeiro conto... lésbico! E nada de visão machista idealizada das relações entre duas mulheres. Minhas lésbicas são daquele tipo "hipie de pousada", que não depila a perna, hahaha.

A antologia mesmo eu não sei quando será publicada.

Também entreguei dois contos para o Portal Literal , um meu e outro da minha mãe, que começam em pontos parecidos e vão para direções bem distintas. É bom para ver onde divergimos. É também o primeiro trabalho da minha mãe publicado na net. Ainda não entrou no ar, mas deve entrar em breve. Depois aviso. Ah, meu conto se chama "Minha Casa Pegou Fogo".

Escrevi esse conto já há alguns meses. Mas guardei para este momento e para o Portal (que é um dos poucos sites que PAGA pelos contos – enfim, nós merecemos algum tipo de reconhecimento). Interessante sair agora, no "mês das mães", momento de tantas reflexões, e do meu aniversário.

Sim, faço 28 anos nesta semana. A idade não me pesa tanto, porque estou bem melhor hoje do que quando tinha 20. Mas com certeza eu estava melhor aos 24...

Nesse final de semana, fui para a casa da minha mãe no interior. Tivemos um almoço de família lá. É sempre
estranho "confrontar a família". Não sou próximo de ninguém, nem de meus irmãos (e tenho vários...). Gosto dos meus primos (são todos lindíssimos, sério!), dos meus tios, mas não tenho muito o que conversar com eles. Acho que os Nazarian me consideram um peixe exótico.

Ao menos sou um peixe. Será que encontrarei um feirante oriental para abrir minha espinha?

Eu poderia dizer que minha verdadeira família são meus amigos, mas também não chega a tanto. Acho que minha verdadeira família é Lorena, Olívio, Thomas.... ahhhhhhhhh, que tristeza, hahaah!

Então vai o reconhecimento àqueles que já puderam me dar filhos: Fabbie, Camila, Lívia, Daniel, Huy-Thong, Patryk, César, Jaspion, Paulo...

FIM DE SEMANA DO TERROR

A turma.  Passei os últimos dias trancado com uma dúzia de malucos, num sítio afastado, sem sinal de celular e internet. O “Fim d...