22/07/2005

ANTES QUE O SOL ME QUEIME, FECHE MEUS OLHOS E ME CUBRA.

Bem, bem, pra falar a verdade, Jonathan e Wellington também afundaram no Tietê...

As coisas melhoraram por aqui – mas não posso ficar me gabando muito, porque o olho grande dos opositores é fatal, e inclusive já me causou conjuntivite, conjuntivite e infecçao urinária. Isso foi combinado à minha crise econômica, que me causou uma depressão que me trancou em casa por quase uma semana, sem trocar de roupa nem tomar banho, semanas atrás.

Agora os bonecos de neve voltaram a sorrir.

Estou mergulhado nos trabalhos que mais gosto de fazer. Quem me dera pudesse ser sempre assim. Não que eu esteja faturando horrores, mas ao menos estão aparecendo trabalhos interessantes. A tradução do JT LeRoy tem sido uma delícia, faço com todo o amor do mundo. Também surgiram outras legendas. E uma avalanche de contos que serão publicados no segundo semestre.

Sim, vários contos meus serão publicados em "mídia impressa" no segundo semestre, em antologias e revistas. Alguns deles bem extensos, como o "Ismália" (baseado no poema de Alphonsus Guimaraens) e um outro de 15 páginas em que estou trabalhando agora e tenho de entregar até o final deste mês. Tem também "Aranha no Açúcar", que deve sair numa revista em setembro, e o "Seis Dedos Para Contar", que sai na Itália, ano que vem. E mais. Mais. Pode deixar que aviso quando forem saindo.

Já disse isso várias vezes e repito: não entendo esses escritores que sofrem para escrever. Por mais que o produto final seja magnífico, eles deveriam procurar outra coisa, algo que lhes desse prazer. Eu tenho tanto prazer em escrever que até me sinto culpado. Segunda-feira, por exemplo, fiquei até as 5 da manhã (bem, agora são 3...) para terminar um conto que tinha de entregar. Daí você vê aquele povo se queixando "tenho trabalhado tanto", meio com aquele orgulho do sofrimento, saca? As pessoas acham ótimo dizer que "não têm tempo para nada e que trabalham demais". Bem, bem, eu tenho tempo para tudo, estou aqui às 5 da manhã fazendo o que gosto e quero mais, mais. Talvez seja porque eu não consiga ver isso realmente como um trabalho... mesmo quando me pagam...

Talvez seja essa essa lógica cristã, de ter de associar trabalho com sofrimento...

Falando em contos, tenho visto na comunidade do Orkut o interesse de leitores, como o Saint-Clair, que gostariam que eu publicasse um livro de contos. Para mim, essa não seria um publicação relevante no momento. Todo mundo lança livro de contos, principalmente os autores dessa "nova geração". Eu tenho contos, vários, e eles podem ser facilmente lidos por aí. Por que querem vê-los reunidos num só volume? É como comprar uma coletânea de "Greatest Hits" de uma banda, sendo que você já tem todas as músicas em outros discos.

Meu próximo lançamento será mais um romance, que já está pronto, mas que vou segurar um pouco. Tenho lançado um livro por ano e preciso dar um respiro maior, para não saturar. Então fica para final de 2006, começo de 2007. Só posso adiantar que estou bem satisfeito com o resultado, e que vai para uma direção completamente diferente dos anteriores, mas que confirma minha tendência de namoro com as ciências biológicas (vide "Pó de Vidro e Veneno de Cobra" e "Seis Dedos pra Contar").

Ah, mas daqui a alguns meses eu dou mais detalhes aqui.

Para aqueles que estão atrás dos contos, vai aí o que já foi lançado até agora, no blog, em sites e impresso (se esquecer de algum, me avisem):

A Mulher Barbada: no livro "Parati Para Mim" (Ed Planeta, 2003)
Pó de Vidro e Veneno de Cobra: no livro/revista "Ficções 12" (7 Letras, 2003)
Só Tiro o Dedo da Boca para Furar Seus Olhos: no livro "Os Cem Menores Contos do Século" (Ateliê Editorial, 2004)
Quando Eu Escrevo: no jornal "O Globo" (2003)
É o Câncer que me Faz Sorrir: no jornal Folha de São Paulo (2005)
O Chamado (selvagem): no site "Patife"
O Pequeno Conto que Sorri: no site "Patife"
Quasímodo – no site "Portal Literal"
O Amolador de Facas: no site "Bestiário"
Espinha de Peixe: aqui no blog
Seis Dedos pra Contar: aqui no blog
Depois do Sexo: aqui no blog
Garotos Podres: aqui no blog
Velhos Sapatos de Dança: aqui no blog
Irmão Sol, Irmão Água: aqui no blog

De todos esses, no momento, meu favorito é "Espinha de Peixe".

FIM DE SEMANA DO TERROR

A turma.  Passei os últimos dias trancado com uma dúzia de malucos, num sítio afastado, sem sinal de celular e internet. O “Fim d...