30/11/2005

A COLHER DA DISCÓRDIA

"O que mais me perturba agora é saber que os críticos, jornalistas e até mesmo escritores não estão mais preocupados com a consistência da mousse de maracujá. Nas raras vezes que se dispõem a provar da iguaria só avaliam sua doçura ou acidez. Não podem nem ao menos diferenciar entre uma mousse, um creme e uma torta, tal o nível de alienação que chegaram sobre o assunto. Eu poderia deixar de insistir e simplesmente baratear minha receita, tanto financeira quanto ideologicamente, descansar meus braços e não bater com tanto vigor, mas assim eu estaria me entregando de vez e jamais chegaria perto de proporcionar a autor algum o mesmo prazer, calma e elevação espiritual que me proporcionam."

Carta de Joaquim Affonso Santana a seu pai, Emílio da Costa Santana, datada de 18.03.1929.

UM ANO TREVOSO

Saindo do poço... Não foi fácil para ninguém, não se engane. Não foi fácil para mim. Estava revendo há pouco minhas retrospectivas de a...