11/01/2006

OSSOS OCOS COMO ÁGUA DE COCO

E a novela continua. Todo mundo tem me mandado matérias sobre a farsa de JT LeRoy. Parece que ficou provado mesmo que o pitéu era uma pitéia, ou duas. Quer dizer, os livros foram escritos por uma escritora de meia idade e o "personagem" era interpretado por uma menina adolescente.

Na Folha de hoje saiu uma matéria sobre isso, com algumas declarações minhas. Eu realmente não poderia dizer se a figura com quem conversei durante um jantar era homem ou mulher. Parecia um menino bem novo, ou uma menina. A androginia era que dava toda a graça. Aliás, ainda dá. A história fica mais interessante. Quer dizer que ele era uma mulher fantasiada de menino fantasiada de mulher fantasiada de escritor? Haha. Isso é que é pós-modernismo!

De qualquer forma, o livro existe, o personagem existe e continuo recomendando. "The Heart is Deceiftul Above all Things", que eu traduzi, só sai na Bienal, em março. Mas "Sarah", o primeiro, já tem versão em português (tradução de Flávio Moura) e vale a pena.

Agora, o filme baseado no livro - "Maldito Coração" - que estréia no final do mês, é uma bosta. Daria Argento (diretora e atriz do filme, que faz papel da mãe de JT), é ultra canastrona, parece querer realizar seu sonho de interpretar uma puta (ou fazer a Courtney Love, que aliás é o papel que ela faz no filme "Last Days", do Gus Van Sant). O filme consegue transformar a história louquíssima do livro num drama arrastado, cansativo. Fora que o livro é BEEEEEM mais pesado... Esperem até a Bienal.

Aliás, até Wong Kar Wai anda me decepcionando...

Mas não Scott Walker. Estou baixando tudo (o que eu ainda não tenho) dele aqui no meu PC. Parece que está tendo um revival dele e aproveito para achar novas músicas. Outro dia vi no Grind o performer Christian F. (ex Caio Wolf) fazer uma bela versão de "In My Room", ao vivo. O Leandro, vocalista do Multiplex, também manda muito bem nos shows com uma versão de "I Don't Want to Hear It Anymore" (aliás, Leandro é que me apresentou o som do Scott, lá nos anos 90).

Pra quem não sabe, Scott Walker é um cantor "vozeirão" dos anos 60, que influenciou muita gente do pop britânico, como Bowie, Marc Almond e Pulp (aliás, o último cd deles foi produzido pelo Scott). Mas desde os anos 70 que ele não aparece muito, lança um cd a cada dez anos - cada vez mais estranhos.

Então vai aí uma grande letra dele nos anos 60:

I Don't Want to Hear It Anymore.

In my neighbourhood, where folks don't live so good
The rooms are small, most of building's made of wood
I hear the neighbours talking about you and me
Yes, I've heard most every word 'Cause the talking's loud,
and the walls are much too thin

"She don't really love him" Oh, that's what I heard them say
"She sure wasn't thinking of him today"
"I saw her in the courtyard", said that girl in room 1-49
"Talking to a boy I've never seen before
And standing there together, don't you know they looked so fine"

No, I don't want to hear it anymore I don't want to hear it anymore
'Cause the talk just never ends And the heartache soon begins
The talk is so loud and the walls- they're much too thin

"Lord, ain't it sad", said the woman across the hall
"That a nice boy like that falls in love Hey, it's just too bad that he had to go and fall
For a girl who doesn't care for him at all"

No, I don't want to hear it anymore I don't want to hear it anymore
'Cause the talk just never ends And the heartache soon begins
Oh, they talk so loud And the walls are much too thin

Oh, I wish they wouldn't talk so loud And expose my heartache to the crowd
These walls around me are so thin
(Sometimes I think they're moving in)

E aliás... CHEGA DE ALIÁS. .

UM ANO TREVOSO

Saindo do poço... Não foi fácil para ninguém, não se engane. Não foi fácil para mim. Estava revendo há pouco minhas retrospectivas de a...