09/04/2006

ZÉ CARIOCA, PERSONAGEM TÃO SUTIL, CRIAÇÃO DO SEU VALDISNEI, QUE FEZ COISAS LINDAS MIL.

Os temas, a abordagem, as fotos. Tudo é uma forma de provocar, surpreender, chocar? O que você quer com a sua arte?
Não. A preocupação da minha obra não é chocar. Minha preocupação é mostrar certa beleza e elegância em temas considerados obscuros. Exatamente por isso pode ser relacionada ao gótico. A arte gótica tem essa característica principal, mostrar o lado belo, romântico da morte.

Trecho de uma entrevista que concedi a Fernanda Miranda, do jornal Tribuna da Imprensa, de Araraquara. O caderno todo de comportamento do dia 2 de abril discute o tema "atração pela morte". Uma página inteira é dedicada aos meus livros.

E ontem teve Casa das Rosas. Gostoso. Estava bem cheio, com um pessoal interessado e carinhoso. Quem esteve lá levou de quebra um caderninho com um conto inédito meu, de dez páginas, além de um conto inédito da minha mãe. Também sorteei um "Olívio" e distribuí pílulas de ecs... haha, zoeira, zoeira.

Continuando no terreno "mórbido", entraram uns filmes de terror aqui para eu traduzir. Oba, finalmente. Eu só andava traduzindo filmes políticos franceses de esquerda... E o melhor de traduzir filmes de terror é que 90% dos diálogos são só gritos. haha.

Hoje está sendo um domingo dos mais dominguentos. Chuva. Solidão. Depressão pós-farra. Saudades imensa de um andar lindo e leve no sol de verão... "E o coraçãaaaaaaaaao..."

VOTUPORANGA, SÃO PAULO, SÃO ROQUE E FIM!

Quinta agora, com Reynaldo Damázio. Se há algo de que não posso me queixar este ano é dos eventos. Antes mesmo de lançar o livro novo o...