12/06/2006

OLHOS PUXADOS E LÍNGUA AFIADA

Finalmente o pessoal das mostras de cinema está descobrindo que nem tudo é Truffaut e Fellini. Agora descobriram Takashi Miike e pipocam filmes dele aqui e acolá, já que nunca nenhum entrou oficialmente em cartaz.

Só esta semana eu vi dois, em duas mostras distintas. Um na sessão Comodoro - organizada pelo Carlão Reichenbach no Cinesesc, toda primeira quarta-feira do mês - e outro no Cine Olido, na mostra "Oriente Extremo".

O primeiro se chama "Visitante Q" e é uma espécie de pornochanchada escatológica surrealista, com direito a incesto, necrofilia e lactofilia (se é que esse termo existe). Divertido, mas nada que se compare ao clássico máximo dele, "Audition" (que vai passar novamente mês que vem, no CCBB – e provavelmente eu vou fazer as legendas).

O segundo é "Ichi, the Killer", certamente o filme que mais inspirou Tarantino a fazer Kill Bill. É uma seqüência interminável de jugulares esguichando, línguas cortadas, corpos partidos no meio. Também é divertido, mas comprido demaaaaaaaais. E eu não sou muito fã desses filmes de máfia e vingança. Se é para ver sangue, que seja com monstros e psicopatas do inferno.

Entretanto, no mesmo Cine Olido, pude ver na sexta passada o "Battle Royale", de outro diretor, Kinji Fukasaku, esse sim um puta filme, ainda que de entretenimento.

Num futuro próximo, no Japão, os adolescentes se tornaram vândalos alucinados e não conseguem mais ser controlados nas escolas. Por causa disso, o governo aprova um programa de raptar e mandar jovens para uma ilha deserta, onde eles têm de disputar o "Battle Royale", jogo onde têm até três dias para um matar o outro. Obviamente, vence o único que sobreviver.

O filme é uma espécie de "Lost" com "X-men". Cada jovem recebe uma mochila com mantimentos e uma arma – que pode ser desde um binóculo até uma metralhadora, depende da sorte de cada um. O mais interessante é que as reações dos adolescentes são as mais diversas e mais reais possíveis. Alguns se recusam a entrar no jogo, mas não podem fazer nada se outros estão metralhando os colegas feito loucos, apenas fugir. Têm os valentões, os nerds, as putinhas, as richas pessoais de escola, tudo levado a uma outra dimensão, quando adolescentes têm de lutar por suas vidas. Muito bom.

E continuando no cinema oriental, no final do mês o Cine Olido vai fazer uma retrospectiva do Wong Kar Wai. Uma pena que só vão passar os filmes dele que já entraram em cartaz ("Amores Expressos", "Anjos Caídos", "Felizes Juntos", "Amor à Flor da Pele" e "2046"). Afinal, Wong Kar Wai também já está ficando carne de vaca, tinham de se puxar mais e trazer algo novo dele.

Este final de semana recebi novos filminhos aqui para traduzir, tudo de terror, eba! Um deles que acabei de ver é uma mistura de "Bruxa de Blair" com "Alien – O Oitavo Passageiro", mas ainda não vou dizer o nome. Quando for passar eu dou todo o serviço direitinho.

Além das traduções, estou trabalhando em outros projetinhos para cinema que podem render coisas legais... Não, o filme de "Feriado de Mim Mesmo" está estacionado e talvez seja guinchado e mandado para o ferro-velho. Mas se algum diretor tiver alguma proposta... o roteiro está pronto. É baratinho, uma locação só, um ator só... (e que não seja o onipresente Matheus Nachtergaele! Haha). Vamos lá, pessoal, nem todo filme brasileiro tem de ser bege.

Dos livros hoje não vou dizer nada.

LEVE NEVE

Com minha herdeira, a Trevosinha Valentina.  Lançamento ontem em São Paulo. São Paulo é o que conta - é minha casa, minha base, daqui...