20/08/2006

ENTRE AS OSTRAS



(nos tempos de hoje, uma frase de efeito - ou micro-conto- vale mais do que mil romances)

Então:

- Esqueça a poesia, chame a polícia.

- Saí dos trilhos, e o trem nunca veio. Fui atropelado, e ele não voltou.

- Em poucas palavras, o poeta vira publicitário.

- Quando acordei, o dinossauro ainda estava em mim. E se eu nunca acordar, ou nunca mais voltar a dormir? Rastejará sorrateiro, a cada simples devaneio? Se mostrará como fóssil, a cada radiografia dos ossos? E seu eu dormir, sonhar, quem sabe, quem sabe não serei preservado, em special fx, no parque dos dinossauros?

- Só com o sangue derramado percebi como o chão estava sujo.
(de "A Morte Sem Nome")

(foto minha por Luciancencov - bláblablá. "Micro-contos" [blarg] enviados a uma editora portuguesa - blablablá)

LEVE NEVE

Com minha herdeira, a Trevosinha Valentina.  Lançamento ontem em São Paulo. São Paulo é o que conta - é minha casa, minha base, daqui...