02/02/2007

EXERCÍCIOS SOLITÁRIOS

(foto de Eduardo Knapp - Folha de SP. 19/05/2004 - no mesmo lar destruído que ainda habito)

Mouses de notebooks são femininos; de PC são fálicos. Pense nisso toda vez que encaixar sua mão naquele design anatômico e mover a seta para cima e para baixo, para cima e para baixo, procurando um ponto na tela para clicar e acontecer! Eu mesmo já estava me cansando de usar apenas o indicador para estimuar o clitóris eletrônico do lap que me emprestaram. Eu sei, você vai dizer que o órgão sexual feminino é o corpo todo, talvez por isso o mouse dos velhos notebooks se acionem do nada, às vezes quando você está no teclado, às vezes quando apoia o braço numa parte sensível - notebooks gozam só com pensamento.

E os teclados dos notebooks não fazem barulho. Não se ouve o doce estalar das teclas acompanhando seus pensamentos como chuva no toldo. Oh, acha que isso é frescura? Cada um tem seu substituto cotidiano para o plástico-bolha. Além do mais, no final da tarde, quando o vizinho aqui do lado chega cansado e abre a porta do elevador e ouve algum som sinistro vindo do meu apartamento - que pode ser Cauby Peixoto, Prodigy, Alcione ou Strokes - me sinto mais confortável digitando "bem alto" (afinal, meu PC fica ao lado da porta), para mostrar a ele que estou trabalhando, que eu trabalho, que não passo o dia inteiro neste apartamento ouvindo música em vão. Estou na frente do computador, masturbando meu teclado.

(Será que posso assumir que entreguei meus primeiros trabalhos de faculdade digitados à máquina de escrever? Isso me fará velho? Do século passado? Na verdade era, mas final, final do século. Vamos acreditar que demorei a me informatizar?)

Tudo isso porque agora estou com máquina novinha (finalmente), PC novinho, teclado estalando, mouse óptico, tudo preto para nunca mais precisar limpar. Bem, eu até que gostava de limpar o mouse "de bolinha. Fala a verdade, não é gostoso limpar aquela caca que fica dentro do mouse "mecânico", depois de estimulá-lo por horas e horas como um objeto fálico?

Falando em estímulos e limpeza, também consegui salvar meus arquivos antigos, poesias e putarias. Em comemoração eu ia até procurar um conto inédito para postar aqui, mas como vocês preferem ler textos de "blog" mesmo, pensei em escrever algo bem cotidiano, bem frugal, acompanhado de uma foto do meu apartamento. Voilá!

"Le Kitsch C'est Chic" da semana que vem deve ser reprise. É que o Mix está reformando o estúdio e não vamos poder fazer gravações lá até o final da semana. Mas na outra já volto com um convidado delicioso lambuzado de mostarda.

(oh só, o vizinho lá fora, acabou de abrir o elevador. Canalha. Me escute digitar, escute, escute!)

"Não serei eu o afetado pela explosão nuclear deflagrada por eles. Ficarei como as baratas, para catar as migalhas do último pacote de batatas-fritas. " (Nazarian + Cronenberg+ Burroughs)

LEVE NEVE

Com minha herdeira, a Trevosinha Valentina.  Lançamento ontem em São Paulo. São Paulo é o que conta - é minha casa, minha base, daqui...