16/11/2007

CADA TAÇA COM QUE BRINDAMOS SERÁ QUEBRADA


4 dos sete...


Feriadão em SP tem:



E tem:



Eu, depois de uma maratona de bienais e legendas em festivais, quero aproveitar ambas apenas como espectador. Afinal, em cada sessão de cinema que vou, depois das 68 que fiz em SP e Brasília, ainda me dá tiques nervosos de operação de legenda. Ontem inclusive fui ver um animê bizarríssimo do Mix. A programação deste ano é voltada para o cinema oriental. Bom para quem gosta de comer de palitinho.


O resto do feriado vai ser dedicado ao chupacabra. Christiano Metri e eu estamos mergulhados no roteiro do longa. As coisas estão se encaixando. Não me perguntem quando o filme ficará pronto, isso é sempre uma incógnita no Brasil. Mas a coisa é pra valer, e demorará o tempo que for necessário para ficar bala.


No terreno literário, o quinto romance está terminado. 510 mil toques (algo como 400 páginas?), 21 capítulos, 3 partes, 7 protagonistas. Me dá ganas de postar mais aqui, trechos, sinopse, as primeiras idéias de capa (sim, já estamos trabalhando na capa e nas ilustrações). Mas ainda é cedo. E você nem leu todos os outros....


Aliás, parece que "A Morte Sem Nome" está esgotado... E não sei se haverá reedição.

Ok, a ilustração lá de cima - isso, essa aí do post - faz parte do primeiro estudo de capa do livro novo. Não vai ser por aí, mas vai ser por aí.


Este post está chocho, por isso eu o estava evitando há alguns dias. Hehe.


Minha garganta dói. Lá fora chove. E não há mais nada aqui dentro.



Maestro Strausser e eu, por aí.

QUANTO GANHA UM ESCRITOR

Com Paulo Scott na Garopa Literária Aqui em Maresias. Na casa que Murilo alugou. Cheguei nesta noite fria de sábado e fui fazer um ch...