28/07/2009

MISSION OFICIAL: BJORK MODE
Lima, Peru.



Estou aqui em Lima. Agenda corrida e sem tempo para processar as informacoes... Mas dou alguns tópicos:

- É uma delícia reencontrar escritores latino-americanos com quem cruzei por feiras e eventos pelo continente - como Pedro Mairal, Daniel Alarcon, Pilar Quintana - e ter essa sensaçao de fazer parte realmente de uma comunidade internacional de escritores com temas e gostos comuns - ainda que cada um com sua identidade exclusiva.

- Em três dias em Lima pude falar mais profundamente sobre meus temas, minhas questoes, críticas e estéticas do que em toda minha carreira no Brasil. Chega a ser constrangedor lembrar como (em geral) as perguntas da mídia em nosso país passam longe de qualquer aprofundamento literário. O complicado é ter de fazer isso tudo em espanhol (ok, portugnol)de uma hora para outra. Agora mesmo estava falando com um jornalista sobre minhas alegorias pop, como o niilismo dos anos 80 pode influenciar um autor, a questao do fim das utopias e que a minha geracao já nao encontrou a AIDS como um inimigo desconhecido. Está tendo de ser no tranco mesmo... E acho que nao pode haver curso de espanhol melhro do que esse.

- Ontem tive minha primeira apresentacao para um grande pùblico da Feira (numa mesa com outros autores do Bogota 39). Tive de falar em espanhol em frente a algumas centenas de pessoas e ficava dizendo para mim mesmo (pense que - para eles - è como a Bjork falando inglês, pode ser bizarro, pode ser totalmente errado, mas eles ainda podem achar bonitinho...)


- Alguém espalhou para os jornalistas peruanos que, além de artista de body art, barman de prostíbulo gay e redator de disk-sexo, eu fui modelo. Me lisonjeia deles acreditarem...

- By the Way, se ficar mais um dia aqui, volto gordo.

- Ontem jantamos num Cassino Chines - pago pela Camara do Livro - com a comida chinesa mais maravilhosa que jah provei.

- A comida tipica tambèm è bem boa (mas nada surpreendente; ceviche e afins).

- Meu melhor amigo para a vida inteira aqui é (o escritor, cantor e performer) Dani Umpi. Identificacao instantanea. E como eu poderia imaginar que conheceria um uruguaio que conhece Marina Lima, Claudia Wonder, Montage e Karine Alexandrino?

- As meninas da feira também sao a coisa mais querida do mundo, e me levaram por um tour pela cidade. A cidade é linda, mas bastante melancólica...

- Nao tenho dormido nada. Porque a noite temos jantares, depois bebidinhas oficiais, depois bebidinhas extra-oficiais, depois pé na jaca. E 8 da manha toca meu telefone porque tenho entrevista marcada (com fotos...). Por isso os óculos escuros...

- Do Brasil, encontrei só Cuenca (Nelida esteve e já foi). O povo da Biblioteca Nacional também é querido (embora, estranhamente, nossos livros nao estejam nem expostos no estande do Brasil.)

- Mas a embaixada brasileira aqui me buscou no aeroporto, DENTRO da area de check-in, ANTES de passar na imigracao. Passei direito com o funcionario dizendo: "Ele está numa missao oficial."

- Ui, ui, ui.

- Hoje de noite é minha mesa solo. Devo ler (meu conto amazônco) "Piranitas" e alguma outra coisa em espanhol. Que a Bjork me proteja.

QUANTO GANHA UM ESCRITOR

Com Paulo Scott na Garopa Literária Aqui em Maresias. Na casa que Murilo alugou. Cheguei nesta noite fria de sábado e fui fazer um ch...