08/10/2009

ROMANCINHO FÚNEBRE

Deixa Ela Entrar

Confesso que me decepcionei. Tanto foi dito do filme sueco "Deixa Ela Entrar" (que passou numa porrada de mostras e finalmente estreou esta semana em SP) que esperava bem mais, ao menos uma novidade.

O filme é muito do que se viu por aí, mas com um ritmo truncado e um tom bem piegas, apesar de algumas boas idéias.




É um romancinho pré-púbere, de um menino solitário e perseguido pelos valentões da escola, que se apaixona por uma vampirinha. Daí você já pode imaginar quase tudo o que vai acontecer.

O filme tem o mérito de investir em algumas cenas de real violência, embora não seja em nenhum momento um filme de "medo". O foco central mesmo é o romance dos dois, a descoberta do amor, o despertar da masculinidade, blablablá, de maneira bem melosa, às vezes pretensamente artística (afinal, é um filme sueco) e abusando da beleza nórdica etérea do protagonista em contraste com a esquisitice latina-vampírica de sua amada dentuça. Tudo beeeeem artificial e pretensioso.

O saldo final até que é um filme bem bonitinho. Não chega a ser um crepúsculo mirim. Mas está longe de justificar o hype - não é um bom filme de arte nem um bom filme de terror.

Agora... se você quer se preparar para uma bomba mesmo, prepara-se para o REMAKE DE A HORA DO PESADELO, que já está com trailer no Youtube.

Para começar... Veja o visual do novo Freddy Krueger (que não será feito pelo Robert Englund):


Uma coisa meio Labirinto do Fauno? Isso não é bom.

E clique aí embaixo para ver o trailer e começar a ter pesadelos...



PRÉ-PÓS-URBANO

Igreja de Satã A natureza é madrasta. A verdade da mata é impenetrável, intransponível, inabitável, não se pode pôr os pés lá. Não há tr...