13/11/2009

FOTONOVELA LATINA


Mesa de escritores latino-americanos: Francisco Suniaga (maior bestseller daqui), Enrique Belmonte (prestigioso poeta), Nazarian (ex-redator de disk-sexo) e Leo Felipe.

Perdi o apagão. Perdi neurônios. Mas recitei poetas franceses. Ainda em Caracas, passo a fotonovela do dia:


As queridas do Instituto Cultural Brasil Venezuela.


Leo Felipe lê meu "hit single", o conto "Pirañitas." Tem sido o conto perfeito para ler (em espanhol) por eventos América Latina à fora, porque é curto, rítmico, amazonicamente brasileiro e reptilicamente nazariano.


Depois da mesa, me pediram uma entrevista para TV. "É uma estatal," me avisou Leo. Fiquei pensando se era um alerta de "cuidado com o que vai dizer para não ser preso, torturado e apagado definitivamente."
E adivinhe o que passa nos televisores do Instituto...
A fachada.
E meu imenso quarto (essa é só a sala).
A labuta por aqui já acabou. Agora é ir para o skate or die. Novas fotos e relatos quando voltar para São Paulo... se voltar a São Paulo.

Morri.

PRÉ-PÓS-URBANO

Igreja de Satã A natureza é madrasta. A verdade da mata é impenetrável, intransponível, inabitável, não se pode pôr os pés lá. Não há tr...