21/04/2010

BRASÍLIA JÁ ME TORROU...



Há cinquenta anos...


Páaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarabéns...


Como todo mundo tem falado do aniversário de Brasília - e eu estou sem assunto - aproveito para deixar minha homenagem e minhas lembranças de uma cidade tão pitoresca, e de certa forma tão nazariana...


- Passei quinze dias lá em 2007, fazendo um trabalho de tradução/legendas de uma mostra de animê(!). Morava num hotelzinho fuleiro na Asa Norte e fazia tudo a pé... ou ao menos tentava.


- Caminhava todo dia mais de uma hora para a academia. De tarde, ia ao CCBB trabalhar. Construí uma microvidinha lá, e deu para ter uma certa ideia de como seria morar na cidade.


- É uma cidade estranhíssima, vazia, erma, ampla, como um cenário ou uma maquete... exatamente como todo mundo diz. E é tão estranho se encontrar de madrugada, naqueles cenários do Jornal Nacional, bebendo com amigos e vendo as corujas pousadas na Esplanada dos Ministérios.


- Porque é uma maquete construída no meio do cerrado. Então lembro de corujas, calangos, sapos, e muitos, muitos insetos. Uma sensação bem surreal.


- Lembro também dos dois shoppings de frente para a esplanada, dois shoppings idênticos e simétricos, mas um do bem e outro do mal, como gêmeos de novela. Enquanto um tinha lojinhas de grife e cinemas, o outro era lotado de puteiros, saunas, igrejas evangélicas...


- O povo lá não era especialmente bonito, mas deu pra ser feliz...

PRÓXIMOS, PÓS E PARALELOS

Já à venda. Saiu esta semana o Perdidas - Histórias para Crianças que Não tem Vez - uma antologia de contos e poemas de grandes autore...