18/06/2010

MADRID!





Pouco a pouco meus tentáculos vão se estendendo para além do Brasil. Teve a edição portuguesa de "A Morte Sem Nome", "Mastigando Humanos" foi vendido pra Itália e agora Peru, e tenho contos em antologias em praticamente todos os países da América Latina. Já viajei bem aqui pelo continente, agora é hora de voltar à velha Europa.

Viajo amanhã. Participo do Congresso de Novos Narradores Iberoamericanos em Madrid, na próxima semana. Depois estico mais uma como turista. Nunca estive na Espanha, conheço bem só o norte da Europa. E esses eventos sempre são uma boa porta da entrada - você chega já com um propósito, contatos, almoços, jantares, festinhas e gente querendo sorver da sua aura de escritor. Acho bem gostoso. Só espero que meu espanhol faça jus. Para mim ainda é bem mais confortável falar em inglês. Mas nenhum país anglo me chama...


É bem difícil escritor brasileiro lá fora. As editoras têm pouca gente para ler (em português) e avaliar. Além disso, compram mais focados em resultados - vendas! prêmios! - do que no texto em si ou na temática. Mas a coisa está andando... rastejando.... como um bom réptil que sou.


Posto o próximo da Europa, tchau!

A QUEM POSSA INTERESSAR...

Eu e Raphael, apocalípticos e integrados.  É aquele velho ranço: o autor que vende ressente não ser levado a sério, o autor que é leva...