04/07/2010

KYLIE!

É ela sim...


Ok, não ligo pra Madonna, não gosto de Lady Gaga, nem sei o que a Beyonce canta, mas meu lado bichinha poc-poc aflora à toda com a Kylie Minogue...


Foi ela o show principal da parada gay aqui de Madrí, em praça aberta, gratuito, com milhões e milhões de bichinhas deslumbradas... como eu. Ela cantou pouco, meia dúzia de músicas entre canções novas e os hits ("Can't Get You Out of My Head", "Spining Around"), mas já valeu. Uma tetéia. E eu me espremendo para ver mais de perto...

Com a Vander Vuman.

Fora isso, parada super alto astral, gente linda e animada - mas uma parada bem mais pé na jaca, maior e menos politizada do que a de Barcelona. E a mim parecia muito, muito, muito maior do que a de SP...

1,5 milhões?


Além da passagem dos trios, o evento se espalhou pelas ruas paralelas e praças, madrugada a dentro, com vários palcos montados com shows, barracas de bebida e comida, o povo se jogando nos "minis", que são copos plásticos de 750ml (!) com cerveja, mojitos ou drinques vodca! (Algo como os "pints" ingleses) Só estou vivo porque já fui casado com um russo... Mas outro final de semana desses e eu morria.


Interessante notar (não só na parada) como existe essa tendência mundial de "hipermasculinização" dos gays. Enquanto os héteros se tornam cada vez mais estilosos, modernos e bem vestidos, os gays adotam um visualzinho básico, cabelo raspado, padrão homenzinho. Principalmente em Barcelona, demorou para eu perceber que os rapazes mais delicados (e interessantes) eram os héteros. Entre eles, está em alta cabelo abaixo da orelha, bermuda acima do joelho e camisa slim fit.


Também interessante notar como o Brasil está em alta por aqui. Pode ser pela nossa estabilidade econômica, pode ser por nosso megalômano presidente Calamar, mas se vê Brasil em todo lado, tocando nos bares e restaurante, nos pés de milhares de Havaianas, nas caipirinhas que se vendem em todos os lugares, nas camisas de futebol... bem, pelo menos até o Brasil ser eliminado da Copa - hi-hi! Difícil sentir a antiga baixa auto-estima de terceiro mundo, ainda mais porque a Espanha não é um país caro para nós (bem, ao menos para quem mora em São Paulo.)


E eu volto a SP na terça... Triste acabar as férias, mas tive mais do que o suficiente. E espero voltar antes do feriado (de 9 de julho) para Santa Catarina. Depois disso tudo, a melhor coisa será retomar o exílio e o trabalho.


...mas ainda haverá mais de Europa este ano...

COMEMORAÇÕES

Fim de semana em Maresias.  A neve enfim chegou. Semana mais fria do ano no Brasil coincidiu com a publicação de meu nono livro, Nev...