08/07/2010

ÓDIO MORTAL



Se eu fosse escrever um post sobre minha relação atual com o Banco do Brasil (com o qual tenho a conta da minha empresa - Nazarian Txt - e agora da Petrobrás/Lei Rouanet) teria exatamente esse título. Mas "Hater - Ódio Mortal" é o nome em português sugerido por mim para minha tradução do excelente romance do inglês David Moody (apenas "Hater", no original).

(Deixemos o Banco do Brasil de lado, por hora...)

Escrevi uma matéria para Folha, no final do ano passado, falando sobre a enxurrada de livros sobre zumbis (incluindo o meu próprio). É essa aura apocalíptica noir no ar. Na Espanha, conferi como isso é flagrante. Nas rodas das livrarias, romances e mais romances, antologias, livros infantis, tudo com zumbis. Lá realmente é uma febre. E o Brasil vem aos poucos (sempre atrasado) com alguns lançamentos interessantes.

"Hater" não é exatamente um livro de zumbis, mas quase. Traduzi para a Arx (um selo da Saraiva) no final do ano passado, agora está nas livrarias. Como sempre, eu também fiz os textos de serviço (orelha, release, bio), então vai aí pra você entender melhor:

(teaser)
Eles estão entre nós. Por todos os lados. Na multidão, dentro do ônibus, por trás de um sorriso. Você nunca havia reparado nisso. Eles pareciam gente como a gente. Uma senhora octogenária, um colega de trabalho, uma criança inocente. Mas não se engane, olhe bem fundo em seus olhos. Você verá que eles são movidos por um ódio irracional, uma raiva que se espalha como fedor; como você nunca tinha percebido? Eles querem acabar com a gente. Eles vão nos atacar sem aviso. Até sua família, seus filhos, seu grande amor pode estar se virando contra você. Somos nós ou eles, colega, não há alternativa. Você sabe o que fazer. É uma ameaça, uma epidemia, você precisa livrar o mundo dessa raça maldita. Pegue o que estiver à mão. Arme-se com o que encontrar pela frente. Ataque-os antes que eles o ataquem. A paz só será estabelecida quando todo o sangue dessa escória tiver sido derramado.

(sinopse)
Danny é um sujeito normal. Normal até demais. Com um emprego burocrático e estressante, mulher e filhos exigentes e uma rotina que não deixa nenhum espaço para suas vontades individuais, ele não vê rumo em sua vida. Mas as coisas podiam ser piores. Bem piores. É o que ele percebe quando a cidade é assolada por uma estranha epidemia de violência. Pessoas estão atacando umas às outras sem explicação. Cidadãos acima de suspeita estão cometendo assassinatos terríveis. Aqueles que conseguem escapar estão se escondendo dentro de casa, com a porta bem trancada.
“Hater” é um thriller surpreendente, repleto de reviravoltas. Traz o melhor dos filmes apocalípticos, de terror e ficção científica, mas com uma visão íntima, cotidiana, aproximando a narrativa da vida de todos nós. Você vai se arrepiar de medo e repensar todos os seus conceitos de civilidade com esse romance, que já está sendo adaptado para o cinema.


(bio)
David Moody é um jovem escritor britânico apaixonado por filmes de terror e literatura de ficção científica. Publicou seu primeiro romance por uma pequena editora na Inglaterra, mas decepcionado com a fraca repercussão decidiu distribuir o segundo, "Autumn", gratuitamente pela internet. Foi um sucesso inesperado e gerou uma série de outros romances que prosseguiam com o enredo. Em 2005, Moody lançou sua própria editora, “Infected Books”, por onde lançou "Hater". Em menos de três meses os direitos do livro estavam vendidos para o cinema, assim como já havia acontecido com os direitos de "Autumn". Agora "Hater" é um fenômeno mundial, se espalhando como a epidemia descrita em suas páginas e chegando às suas mãos. Pode acreditar, vai ser difícil se livrar dele. Está com medo?

Beeeeeeem bacana.

COMEMORAÇÕES

Fim de semana em Maresias.  A neve enfim chegou. Semana mais fria do ano no Brasil coincidiu com a publicação de meu nono livro, Nev...