28/10/2011

RÚSSIA
Um dos lugares que eu mais queria conhecer no mundo era a Rússia. É caro, longe, e até ano passado era bem burocrático para conseguir visto. Agora não mais. Depois que descobri que o visto foi abolido, e que São Petersburgo fica só a 3 horas e meia de trem de Helsinque, me preparei para vir. Seria o vigésimo país a conhecer. Foi (se eu não contar ainda Noruega, que só conheci a fronteira). E superou minhas expectativas.


A cidade é isso.
E isso.
Mas também isso.


É uma cidade linda-linda, já bastante capitalista, mas com uma personalidade forte que se mantém. Enquanto os países ocidentais se homogenizam num senso comum (o dito bom senso) cultural, a Rússia ainda é um lugar onde se pode fumar em qualquer lugar, beber em qualquer lugar, onde bebida é barata, fácil de comprar e vista como parte da cultura, é uma cultura ainda fechada em si mesma.


Isso quer dizer também que ninguém fala inglês, e eles não são exatamente simpático (mas também não são agressivos, como os alemães), e a gente tem de se virar. Para você ter uma ideia, assim que eu cheguei, fui pedir informações no setor turístico da estação de trem, e a menina das informações não falava inglês (pode até parecer absurdo... mas no Brasil não seria a mesma coisa?).


No Hermitage, um dos maiores museus do mundo. Uma salada russa que tem de Picasso a arte bizantina, Cezane e tesouros soviéticos. O Prado, em Madri, ainda é meu favorito.

A cidade é cara, mas quando você vai fazendo as contas, percebe que caro mesmo ainda é São Paulo. Ontem comi num restaurante bacaninha, pedi de entrada um sorvete de trufa (isso, salgado), vinho, pato com molho de cranberry e sobremesa. Deu cerca de 100 reais. Em São Paulo sairia mais caro, na certa.


O pato.

A comida é boa, mas os pratos típicos são aquela coisa pesada, carne de porco, batata. Comi outro dia um straganoff que surpreendentemente tinha gosto idêntico a... estrogonofe. Igualzinho do Brasil, só que servido com purê de batata. Também tem muito sushi por aqui, sei lá por quê. E é ótimo.

Depois de namorar quatro anos com um (quase) russo, já estava mais do que habituado a tomar vodca pura. Agora vodca pura e sem gelo, só na Rússia. Pode meter um suquinho de cereja?


Mas talvez o que mais impressione na cidade - mais do que os monumentos, a história, essa personalidade soviética - sejam os meninos. São Petersburgo bateu Tóquio no meu ranking de a cidade dos MENINOS MAIS LINDOS DO MUNDO. Sério. São todos meio freaks, uns rostos angulosos, talhados, olhos claros, cara meio de doentinhos. Dá para se apaixonar em cada esquina.

O povo todo encara, não sei se por eu ser um tipo estranho aqui, não sei se porque encaram em geral mesmo, mas nisso é o oposto de Tóquio, onde ninguém jamais vai cruzar olhares com você...

Perdido nas esquinas...


O Grindr aqui também funciona... hehe. E já fiz amiguinhos... amiguinhos... E quando vi estava virando vodca com um gorduchinho, batendo nas costas dele: "Alex, você é meu melhor amigo na Rússia!"


Aloprando pela cidade.


Também já saí pela noite, pela noite gay. Ontem fui num cabaré divertidíssimo, chamado... Cabaré, com show de drags, com direito até a uma performance de "O Tico-tico no Fubá" em russo! Show de drag é igual no mundo todo...

O cabaré. (Depois de algumas fotos, um segurança veio pedir para eu parar de fotografar e deletar da câmera. Fingi que deletei e ficou tudo bem. Com os seguranças da Loca seria muito pior, diz aí?)Dia seguinte estava assim... Envelhecido trinta e cinco anos (Haha, é algum efeito bizarro da câmera, eu juro, eu juro...)

E enxergando assim...



Enfim, eu tinha ouvido muito falar que São Petersburgo era perigoso. Um ex-namorado meu, que já conhece mais de 50 países do mundo, disse: "A Rússia eu confesso que é um país que me dá medo. É um lugar onde coisas muito ruins podem acontecer com você..." Mas não é nada demais não. Para quem vem do Brasil, é fichinha. Ok, tem um povo truculento na imigração, mas nada que chegue perto da Venezuela, por exemplo. O clima é ótimo, dá para passear tranquilo, sair tranquilo e eu volto com certeza. Tenho até dada marcada, ingresso comprado, dia 16 de dezembro, para ver show do SUEDE!

Para terminar, tava devendo uma nova versão daquela minha clássica "foto de motel", com as novas tattoos. Já tem uma que fiz esta semana, consegue achar?




FIM DE SEMANA DO TERROR

A turma.  Passei os últimos dias trancado com uma dúzia de malucos, num sítio afastado, sem sinal de celular e internet. O “Fim d...