27/06/2012

O QUE ANDA LENDO?

Santiago Nazarian com Tatiana Salem Levy, escritora. (Publicado na revista Metáfora de junho.)

Nazarian: E aí, princesa, o que está lendo?

Levy: É pra dizer a verdade?

Nazarian: Se a verdade for interessante...

Levy: Tô lendo um romance chamado E a Noite Roda, mas é um livro português, ainda não saiu aqui, é de uma jornalista, Alexandra Lucas Coelho, correspondente do jornal “O Público” aqui no Rio, primeiro romance dela. Muito bom. A história se passa no oriente médio, sobretudo em Israel e Palestina, mas também na Espanha; é uma história de amor entre 2 correspondentes em Israel.

Nazarian: Hum, então tem essa coisa de correspondente jornalístico dela... E tem a questão judaica, não? Vocês sempre puxando a brasa para a sardinha de vocês!

Levy: Haha. Não, isso não... tem a questão palestina, é um livro super pró-palestina! Mas posso falar de outro, ou começar a ler outro.

Nazarian: Tá, vai lá no cantinho, te dou meia hora para começar outro e me dizer o que está achando...

Levy: Já sei, tem um que li há pouco, bonzão. Um de um cara q vai atrás de uma casa de ópio, porque diz que nasceu pra fumar ópio. A Última Casa de Ópio, Nick Toshes

Nazarian: Conheço um cara que vivia nas casas de ópio em Amsterdã.

Levy: Sério? Tem casa de ópio em Amsterdã?

Nazarian: Clandestina, mas tem. Bem, segundo ele tem.

Levy: Pô, eu queria fumar ópio, deve ser incrível...

Nazarian: Eu também. Só falta esse...

Levy: Hahaha. Pra mim faltam outros...

Nazarian: O livro alimenta essa vontade?

Levy: Tem a coisa da aura da casa de ópio. Porque ele não quer só fumar ópio, quer fumar numa casa de ópio. E sai viajando pelo Vietnã, por Hong Kong, Tailândia, atrás da tal casa; e eu estava nesses lugares agora.

Nazarian: Acho que mesmo quando esses livros trazem uma visão negativa, acabam dando uma vontade... O que tem de adolescente que resolve experimentar depois de ler "Christiane F". Eu fui meio assim...

Levy: Ah, total. Mas o dele não é nada negativa. Diz que nasceu pra fumar ópio, e depois de fumar diz que tinha toda a razão.

Nazarian: Felizmente livros não são produtos de massa, senão já caía juiz em cima querendo recolher o livro por apologia... Recolheriam Lolita por apologia à pedofilia... Acho que o Brasil está chegando nesse ponto.

Levy: Tá complicado. Se os evangélicos tomarem conta então, fodeu.

Nazarian: Melhor a gente ficar quietinho, não dar ideia, senão os livros passarão a vir com "classificação indicativa" (Ops! Já dei)

A Última Casa de Ópio, do jornalista Nick Toshes, foi publicado no Brasil pela Conrad, em 2006. 


PRÓXIMOS, PÓS E PARALELOS

Já à venda. Saiu esta semana o Perdidas - Histórias para Crianças que Não tem Vez - uma antologia de contos e poemas de grandes autore...