25/07/2012


   O QUE ANDA LENDO?                 



Com Mayra Dias Gomes. (Publicado na revista Metáfora de julho.)


Nazarian: Querida, o que anda lendo?
  
Dias Gomes: Estava lendo O Iluminado do Stephen King
Nazarian: Ah, bacana. Esse eu nunca li. E como é comparado com o filme e tal.

Dias Gomes: O filme é um dos meus preferidos, mas o livro é melhor ainda porque você pode entrar na cabeça dos personagens. Do pai, da mãe, do filho. Você descobre o histórico e os segredos daquela família, do que acontecia quando o pai bebia, dos medos da mãe e da criança, e segue a lógica no raciocínio de cada um depois que se mudam para o Overlook Hotel e o pai começa a ficar louco. Basicamente você tem todos os pontos de vista...

Nazarian: É bem raro um filme que seja melhor do que o livro, não? It, foi um livro importante na minha adolescência. Mas tenho a impressão de que Stephen King entrou numa coisa meio fantástica meio metafísica, não? Tem lido as coisas mais recentes dele?

Dias Gomes: Sim, com certeza. O livro é sempre melhor do que o filme. Ainda não li nada mais recente dele. Para ser sincera, não faz muito tempo que comecei a ler os livros dele – por enquanto foram Carrie, O Iluminado e Cemitério Maldito. Queria comparar os filmes aos livros.

Nazarian: Tudo o que ele faz vira filme, né? É mais ou menos como o Mutarelli no Brasil. Mutarelli é o Stephen King brasileiro. Haha.

Dias Gomes: Também quero ser assim!

Nazarian: Pô, seus romances dão ótimos filmes. Se o cinema no Brasil fosse um pouquinho mais… produtivo.

Dias Gomes :Fugalaça [primeiro romance de Mayra] está virando filme… Meu próximo livro é um thriller. Minha primeira tentativa nesse gênero. Minha meta é transformá-lo num filme.

Nazarian: Mas o Brasil ainda é muito fechado para o terror, o thriller, é a praga do realismo, tudo é calcado no realismo aqui. Fora que não há muita abertura no mercado lá fora também. As editoras estrangeiras quando procuram um autor brasileiro querem algo brasileiro-coco-samba-favela, não algo mais fantástico, sobrenatural ou sinistro.

Dias Gomes: Esse meu próximo livro é ficção, mas baseado em um assassinato que presenciei em Hollywood, no antigo prédio onde eu morava na Calçada da Fama, de qual Charlie Chaplin era um dos donos. A personagem principal é uma atriz de Hollywood que foi famosa, mas teve sua carreira destruída por problemas judiciais. É sobre o lado negro de Hollywood - motivado pela ganância, inveja, obsessão por fama. Então tenho lido só terror e sobre casos judiciais.

No Brasil, a editora Ponto de Leitura lançou O Iluminado e outros romances de Stephen King, como Carrie, no formato de bolso, em Português.

ESTRADA

Não sei porque colocaram só meu sobrenome, mas achei chique.  Finalmente o ano está começando para mim. Já voltei para São Paulo e sem...