11/11/2012

NERDS E UNDERGROUNDS

 Debate na Feira do Livro.

Fábio Yabu é um autor de livros infantis, roteirista de histórias em quadrinhos e criador de desenhos animados. Foi com ele minha mesa na Feira do Livro de Porto Alegre. Estava cheio, principalmente de "jovens nerds" (como eles se autodenominam) seguidores do Yabu e alguns leitores meus. Deu para falar bem de Garotos Malditos, do processo de criação, mas acho que a petizada nerd não é exatamente meu target, talvez eu seja udi-grudi demais para eles, mesmo num livro juvenil; talvez eu devesse levar essa coisa mitológica, vampirológica ou fantástica mais a sério, e não fazer livros tão debochados. De todo modo, não pude deixar de confessar: "Eu gostaria de ser um autor mais hardcore do que eu sou. Fico orgulhoso quando alguém diz que achou algum livro meu muito pesado. Mas não posso posar de excluído que foi abusado na infância. Sou um garoto dos Jardins criado a leite com pêssego." Haha

Tem sido interessante também as mesas que vêm montando para mim este ano (com Eliane Brum, Andre Vianco, Martha Argel, agora com o Yabu, e em breve haverá uma com o Xico Sá e o Efraim Medina). São pessoas que trazem novos públicos, novos temas e novas conversas - talvez porque também já tenha se esgotado o diálogo entre a "Geração Zero Zero".

Eu mesmo ando meio perdido. Ou meus leitores se perderam de mim. Não sei mais quem me lê, não sei para quem interessa o que eu já disse ou o que eu ainda tenho a dizer. Felizmente a crise criativa já passou (a existencial e a afetiva longe disso), e o próximo romance está bem engatilhado. Minha editora está esperando, minha agente está esperando, então dá para fazer acreditando que é para alguém, alguém além de mim.

Com Cris Lisbôa, na Lancheria do Parque. 

O resto da estadia em Porto Alegre foi só amor e alegria, apesar do calor insano. As meninas que mais amo no mundo estão aqui, então toda vinda é motivo de comemoração. Também deu para encontrar leitores mais do que queridos. Lindo por exemplo um Policial Militar que acompanha meus livros há tempos e apareceu na Feira para prestigiar. É ASSIM que deveria ser, a literatura fazendo parte da vida das pessoas reais, não só do seu mundinho autofágico. Eu não me alimento disso.


Eduardo é leitor fiel e grande garoto. 



Letícia, sempre linda. 


Taina, irmãzinha (do Thomas). 

Falando em se alimentar, como se come bem em Porto Alegre (e bem mais barato do que São Paulo). Como eu me acabo sempre que vou lá. Além das trasheiras da Lancheria do Parque, tem as trasheiras do Baalbek, meu árabe favorito. Lá é sempre parada obrigatória. E eu morava bem pertinho - isso, o prédio de Feriado de Mim Mesmo que dá vista para o pátio do Inmetro é lá do lado, na Avenida Paraná. Bons tempos...


Comendo como se não houvesse amanhã, porque não haverá. Dezembro vem com o calendário Maia para tudo acabar. 


ESTRADA

Não sei porque colocaram só meu sobrenome, mas achei chique.  Finalmente o ano está começando para mim. Já voltei para São Paulo e sem...