11/12/2012

O HABITANTE DAS FALHAS SUBTERRÂNEAS

Ana Paula Maia, você sabe, é das minhas autoras favoritas, porque é das poucas que tem um universo literário muito próprio, muito masculino, divertido e fascinante.

Assinei a orelha do seu segundo livro, A Guerra dos Bastardos, e a conheci pouco antes, ao ler seu primeiro, O Habitante das Falhas Subterrâneas, que ela relança agora, voltado especificamente para o público juvenil.

Ela me pediu novamente uma orelha, e fiquei honrado em assinar:

Ariel Esperanto é um paulistano de dezessete anos que está viajando, em todos os sentidos. Descolado como tantos e deslocado como os melhores, vive em conflito com os pais e o irmão, fazendo uma cagada atrás da outra, mesmo que (ou exatamente porque), no fundo, seja um moleque bacana. Mandado ao Rio de Janeiro para representar sua família numa festa de noivado, Ariel se perde na noite, nos bares e em hotéis suspeitos, procurando afinal sua identidade no mundo. É assim que se desdobra um apimentado e saboroso romance de formação, moderno, engraçado, enternecedor.

Quando li O Habitante das Falhas Subterrâneas pela primeira vez, eu já tinha deixado a adolescência havia uns bons anos. Ainda assim, foi impossível não me identificar e me fascinar com seu protagonista. Essa foi minha introdução à literatura de Ana Paula Maia, uma autora que entende o universo masculino como poucas e cria cenários em que é sempre um prazer habitar.



Então para quem está no Rio, lançamento será no próximo dia 18, terça-feira que vem, no Espaço Oito e meio, no Flamengo. 

Não há tantos livros juvenis voltados mais para os meninos. Esse inclusive foi o foco de uma ótima matéria sobre Garotos Malditos, que saiu no Estadão há algumas semanas. Então, se você JÁ COMPROU Garotos Malditos para seu filho-neto-sobrinho, fica aí mais uma ótima dica. 

Minha protegida. 

QUANTO GANHA UM ESCRITOR

Com Paulo Scott na Garopa Literária Aqui em Maresias. Na casa que Murilo alugou. Cheguei nesta noite fria de sábado e fui fazer um ch...