15/06/2013

MASTIGANDO AS ÚLTIMAS MORDIDAS...


Já estou de volta a São Paulo, antes que a cidade acabe. E faltou registrar os melhores pratos dessa rápida passagem pela Europa. Dessa vez não teve nada de extravagante ou bizarro, como carne de urso, mas deu para comer muito bem, especialmente em Portugal. No momento Ivana de hoje (da época em que a Ivana de fato registrava essas coisas em blog), destaco:

Tartar de atum com arroz de sushi: Comi em Zaragoza, depois da minha participação na Feira do Livro. É como um sushizão, frio e bem gostoso. 


Churros com chocolate quente: Dá confeitaria Valor, em Salamanca. Os churros espanhóis - sem recheio - perdem para os portugueses (que são mais próximo dos nossos), mas molhados nesse denso chocolate quente fazem a festa. 

Lula e camarões fritos: Almoço em Valladolid. Gordo, gorduroso, mas bem gostoso. 


Polvo a lagareiro: é um povo grelhado, leve e delicioso. Meu primeiro jantar em Lisboa. 


Pasteizinhos: os pasteizinhos de Belém daqui são conhecidos como pastéis de nata lá. Perdi a conta de quantos comi. E quase todos eram igualmente incríveis. 

Esse foi meu último café na cidade, tigelada. Parece um pastelzinho de nata, mas é na verdade uma espécie de... omelete doce. Gostosin. 


Espetada de lula e camarões: esse foi meu último almoço em Lisboa. Leve e delicioso. 

Voltando a SP, foi hora de comemorar atrasado o dia dos namorados. Ganhei um hofolote laser para animar as noites aqui em casa. Dei uma série de lembrancinhas da Europa. E preparei uma paella nazariana, melhor do que qualquer uma que já comi, em qualquer lugar do mundo. 


Frutos do mar trazidos da Península Ibérica... tá, mentira. 


E o resultado. 

Agora é voltar para a academia para (tentar) queimar todas essas calorias. 


 Nós. 


QUANTO GANHA UM ESCRITOR

Com Paulo Scott na Garopa Literária Aqui em Maresias. Na casa que Murilo alugou. Cheguei nesta noite fria de sábado e fui fazer um ch...