11/01/2016

O ADEUS DE BOWIE



E meu post anterior acabou sendo uma despedida. Bowie morre hoje de câncer; seu último álbum mais do que uma volta foi um adeus.

Poucos têm a oportunidade de planejar a morte dessa forma, encerrar uma carreira de forma tão gloriosa e pertinente. Ele sabendo que estava nas últimas e colocando isso em músicas e clipes, sem o público ter noção de nada. Foi foda até o final.

Fará falta. Mas a obra permanece. Posso ao menos dizer que o vi ao vivo em grande forma, na turnê Earthling, de 1998, aqui em São Paulo.

Revendo a discografia dele, vejo que tenho 18 dos 25 álbuns de estúdio (mais alguns ao vivo). A maioria do que não tenho é da fase anos 80, ao meu ver a menos inspirada. Mas ainda há muito a descobrir...

Blackstar já permanece como um dos meus favoritos. No post abaixo coloquei algumas das faixas menos óbvias de que mais gosto.

Hoje minha timeline do Facebook está monotemática, todos lamentando, todos melhores amigos, todos maiores fãs, compartilhando histórias e influências. E é lindo de ver. Lindo saber que temos sim algo em comum com tanta gente distante, diferente, desconhecida.


A QUEM POSSA INTERESSAR...

Eu e Raphael, apocalípticos e integrados.  É aquele velho ranço: o autor que vende ressente não ser levado a sério, o autor que é leva...