07/11/2018

A LOIRA DO BANHEIRO


Debbie antes e hoje. 

Ao menos semana que vem teremos Debbie Harry entre nós. Blondie toca no festival Popload, dia 15 de novembro em São Paulo, e só.

O Blondie é das bandas da minha vida, que conheci na adolescência, nos anos 90, e que acompanho (de longe) desde então. Nunca vieram ao Brasil e este será o primeiro show que eu vejo - e provavelmente o último; Debbie Harry, a vocalista pin-up, está com 73 anos, longe da melhor forma, mas ainda um milagre para quem viveu intensamente o punk rock dos anos 70 e 80.

Da formação original restam ela, o guitarrista Chris Stein e o baterista fodástico Clem Burke (que é dos que mais quero ver ao vivo). Devem tocar os hits obrigatórios e faixas do disco "Pollinator", do ano passado, que é bacaninha.

Então coloco aqui um pouco mais deles, para quem não conhece, para quem quiser se animar para o show, com hits, favoritas e obscuras:


HEART OF GLASS



O maior hit do Blondie não é tão representativo do som que eles fazem. Começaram com uma banda punk guitarreira, mas investiram no apelo pop da vocalista e no terceiro álbum (de 78) começaram a flertar com outros ritmos, como disco-music. De todo modo, nunca deixaram de ser uma banda eclética.


 LONG TIME



O melhor single do disco mais recente tem uma pegada que remete bem a "Heart of Glass", mas não fica só na auto-referência. Acho das melhores coisas que eles fizeram em muito tempo.


WELL DID YOU EVAH


Conheci o Blondie através desse dueto divertidíssimo da Debbie com o Iggy Pop, para a coletânea beneficente Red Hot and Blue, de 1991. Fui atrás de mais material e mergulhei na discografia da banda. 


ONE WAY OR ANOTHER


Um grande hit, que foi regravado até pelo One Direction, e uma ótima amostra do lado guitarreiro do Blondie. Aliás, o álbum Parallel Lines (de onde vem essa e "Heart of Glass") é inteiro foda.  


PRACTICE MAKES PERFECT



Aqui uma amostra do lado mais kitsch-versátil-latino do Blondie, uma faixa bem obscura, lançada só por internet há poucos anos, que tem um refrão em português (tente entender). 

RAPTURE


No quinto álbum o Blondie flertou também com o rap, em outro grande hit. As versões ao vivo costumam ser melhores do que a original. Vamos ver se rola. 

THE TIDE IS HIGH


Outro sucesso com pegada totalmente diferente, levando pro calipso. Esse na verdade é um cover, mas ficou mais conhecido pelo Blondie. O clipe conseguiu associar a música à última coisa a que ela remete: Guerra nas Estrelas. 

MARIA


O Blondie terminou no começo dos anos 80, mas voltou no final do anos 90, meio naquela pegada de "banda de velho para faturar", só que fez bonito. Para mim, estavam no auge musical, Debbie em sua melhor forma vocal, e lançaram um dos melhores discos da banda, "No Exit". O primeiro single, "Maria", ainda é dos meus favoritos. 


SCREAMING SKIN


Essa é a faixa de abertura desse disco de retorno, "No Exit", um power ska que já começa arrebentando tudo. Outra das minhas favoritas. 


DOOM OR DESTINY


E o single mais recente é esse, um dueto com Joan Jett, outra diva roqueira dos 80. Bem bacaninha.  


A capa clássica. 


4.2

42, corpinho de 46, espírito de 64.  A sensação que eu tenho é que estou voltando de uma longa viagem, de uma terra estrangeira, d...