25/03/2007

"ALWAYS CRASHING IN THE SAME CAR"*




(Foto: Ambooleg). Neste final de semana viajei para Xangai, Nova Iorque e Tóquio. Passei a vida toda lá. E nunca mais voltei.

Empapuçado de polêmicas literárias abro minha geladeira procurando um bocado de amor. Encontro ao leite com castanhas, mas, apesar do doce, castanhas travam um pouco em minha garganta.

Escuto “Low”, do Bowie, mais do que previsível. Mas na verdade não gosto. É, não gosto, mas gostaria de gostar. Não gosto dessa fase cold-noir dele, prefiro a glam mesmo, mas me esforço. É legal ficar na frente do computador escrevendo enquanto ele canta:

You’re such a wonderful person, but you got problems...

(Não, não vou ao show do Placebo. Aqueles outros me exauriram)

Estou pensando em voltar a tocar. Só pensando. Andava outro dia pela Teodoro Sampaio e pensei que deveria parar de me ressentir ao ver os teclados. Já estudei piano, já toquei numa banda. Vendi o teclado conscientemente para me tornar escritor. Verdade. Achei que outras atividades artísticas, como a música, poderiam me dispersar. Talvez eu estivesse certo. Mas agora acho que a música pode ser uma boa terapia. Eu fazia coisas interessantes, de qualquer modo, com programações e spoken word...

Mas até aí, naquela época eu mesmo era “cold-noir”. Agora sou um rapaz ensolarado. E sem madeixas para balançar à-la-Liszt.

Para não dizer que estou apenas enrolando para atualizar este blog (porque sinceramente estou com preguiça) coloco aqui uma pequena agenda:

Dia 9 de abril estarei na Casa do Saber, num encontro com Pedro Paulo Sena Madureira, que está dando um curso sobre a relação entre escritores e editores. Eu serei o convidado da penúltima aula. A última será com o grande Moacyr Scliar, no dia 16 de abril. Os encontros são fechados (para os alunos), mas de repente ainda dá para se inscrever. Informações: http://www.casadosaber.com.br/

Já no dia 16 de abril eu devo estar no Rio, em lançamento do livro de Ana Paula Maia. Ana Paula é uma das maiores escritoras não apenas da sua geração, como da atualidade, e eu tenho a honra de assinar a orelha desse seu segundo romance, “A Guerra dos Bastardos”. (coloco o texto aqui quando o livro estiver sendo vendido, claro, para vocês COMPRAREM).


Tem outras viagens marcadas por aí, mas vou avisando quando chegar mais perto...

(aliás, já pergunto aqui. Um monte de gente me escreveu sobre a Jornada Literária de Passo Fundo – em agosto – parece que meu nome foi divulgado, que estou na programação... só esqueceram de avisar A MIM e à MINHA EDITORA!)

Bem, o “Le Kitsch C´est Chic” desta semana deverá ser sem convidados. Ainda estamos reestruturando umas coisas por lá, tive problemas para gravação e temos feito programas com mais música e menos blábláblá, mas isso não é motivo para você perder, é? Pelo contrário... www.mixbrasil.com.br/radiomixbr , Terça 18h e 23h


*Já usei esse título em algum post? É música do Bowie, que vale por mil romances.

LEVE NEVE

Com minha herdeira, a Trevosinha Valentina.  Lançamento ontem em São Paulo. São Paulo é o que conta - é minha casa, minha base, daqui...