24/11/2005

A UTOPIA DO DEFUNTO

"Eles me deram um adiantamento de 300 mil(...)e querem reeditar todos os meus livros anteriores. Já consegui recuperar os direitos de todos - à exceção dos Morangos, que continua muito bem, vai para a quarta edição. Então, depois de todos esses anos, parece que finalmente, pelo menos nessa área profissional, as coisas começam a dar certo. Feitas as contas, com seis livros circulando no mercado, daqui pra frente, se Deus quiser, poderei viver talvez exclusivamente disso."

Carta de Caio Fernando Abreu à sua mãe, Nair Abreu, em 29/06/83, publicado no livro "Caio 3D- O melhor da Década de 80". Caio morreu em 96, em Porto Alegre, sem conseguir sobreviver de literatura.

VIVA LA RESISTENCIA

Do alto de Medellin.  Voltando da Colômbia, após cinco dias em Medellin, numa daquelas viagens mais proveitosas do que divertidas. Via...