24/11/2005

A UTOPIA DO DEFUNTO

"Eles me deram um adiantamento de 300 mil(...)e querem reeditar todos os meus livros anteriores. Já consegui recuperar os direitos de todos - à exceção dos Morangos, que continua muito bem, vai para a quarta edição. Então, depois de todos esses anos, parece que finalmente, pelo menos nessa área profissional, as coisas começam a dar certo. Feitas as contas, com seis livros circulando no mercado, daqui pra frente, se Deus quiser, poderei viver talvez exclusivamente disso."

Carta de Caio Fernando Abreu à sua mãe, Nair Abreu, em 29/06/83, publicado no livro "Caio 3D- O melhor da Década de 80". Caio morreu em 96, em Porto Alegre, sem conseguir sobreviver de literatura.

COMEMORAÇÕES

Fim de semana em Maresias.  A neve enfim chegou. Semana mais fria do ano no Brasil coincidiu com a publicação de meu nono livro, Nev...