26/03/2009

OS MELHORES ÁLBUNS QUE VOCÊ NUNCA ESCUTOU




Na minha constante cruzada para formar um repertório diferenciado, divido com você algumas pérolas desconhecidas da minha discoteca. São alguns dos meus cds favoritos de todos os tempos, dos quais pouca gente ouviu falar. (Não estão em nenhuma ordem específica.)

"The Die is Cast" - Kwan
Kwan é uma banda finlandesa de hip-hop (!), e para ficar ainda mais estranho, eles têm um cello no grupo. Fazem um som em inglês, meio atmosférico, trevoso, que lembra trilha sonora. Ouvi na rádio, na Finlândia, e fui atrás de tudo o que eles tinham. Esse é o segundo álbum, e o melhor. Teve grande repercussão na Finlândia, mas acho que só por lá mesmo...
Melhores faixas: "Rain", "Shine", "I wonder" e "Everybody wants to be an MC".


"Where it Goes" - Lori Carson
Lori Carson tem vários álbuns, inclusive como vocalista do Golden Palominos, mas pouquíssima coisa lançada no Brasil (acho que só um solo e um da banda). Ela também não teve muita repercussão nos Estados Unidos, e atualmente anda só fazendo trilhas sonoras. É uma cantora americana que faz um folk com toques de new age (e é menos cafona do que parece). Este cd é tristíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiissimo, de cortar os pulsos, com vocais chorosos e backing vocals etéreos. Fiquei na dúvida se é o que eu mais gosto, porque gosto de muita coisa dela; de qualquer forma, é um ótimo exemplo. Foi lançado em 95 e ouvi muito naquele ano.
Melhores faixas: "Throught the Cracks", "Anyday" e "Christmas"



"Scott One" - Scott Walker
Não entendo por que Scott Walker não é mais conhecido. Ele tinha tudo para ser o favorito das vovozinhas. Minha vó gosta, porque me encarreguei de gravar para ela. É um som meio Sinatra, meio Cauby, de vozeirão cantando um repertório não tão óbvio. Ele gravou muita coisa do Jacques Brel em inglês, como "Mathilde", a canção que abre este álbum. "Scott One" é seu primeiro trabalho solo, de 1967 (depois de sair do grupo vocal Walker Brothers). Parece que fez bastante sucesso na Inglaterra. Ele lançou vários álbuns em seguida, todos bons. Dos anos 80 pra cá, só lança álbuns de dez em dez anos, e são coisas experimentais estranhíssimas.
Melhores faixas: "Mathilde", "When Joanna Loved me" e "My Death"

"Música de Amor" -Tetine
Bizarramente, talvez este seja o mais conhecido entre os que freqüentam este blog. O terceiro álbum do Tetine ainda é o meu favorito. Tem letras estranhíssimas, algumas cantadas, algumas narradas, algumas inspiradas em obras de Brecht. Mistura inglês e português, e tem um clima de filme de terror com pitadas de trip-hop.
Melhores faixas: "Russian Roulette", "Hello" (cover de Lionel Ritchie!), "Let us glow","G.O.D room".


" 1000 Fires"- Traci Lords
Uau! Adoro este cd. E foi o único que Traci Lords lançou. Ela era uma atriz pornô mirim, você sabe. Começou a fazer filmes com quinze anos, usando uma identidade falsa. Em 94, lançou esse álbum meio techno, meio industrial, uma mistura de Nine Inch Nails com Prodigy, só que mais trash. É óooooooooooooooootimo. Escuto até hoje correndo na esteira da academia. Traci não tem voz nenhuma, claro, é álbum de produtor, mas fez bem feito.
Melhores faixas: "Control", "Good and Evil", "Say Something", "Fathers Field".


"Bastard Art" - Sex Gang Children
Sex Gang rivaliza com Bauhaus o posto de minha banda gótica favorita. É uma banda inglesa bem desconhecida, que nunca fez muito sucesso em lugar nenhum, mas ainda está na ativa (porque é basicamente o vocalista, Andi Sex Gang, com músicos de apoio). Vi ao vivo em Londres. É uma insanidade. Vocais esganiçados, uma aura ao mesmo tempo glamurosa e decadente. "Bastard Art" é o álbum de estúdio mais recente, de 2002. Um ótimo exemplo do trabalho da banda. Tem até a suposta gravação da voz de um fantasma (em meio a chiados) que diz: "I don´t want to kill, I just want to hear the noise."
Melhores faixas: "Saraband for Dead Lovers", "Circus Days" e "Joy".

"The No Comprendo"- Les Rita Mitsouko
Sabe aquela música do Capital Inicial, "Sem Cansar"? É um cover de "C'est Comme Ça", sem dúvida o maior (se não o único) hit do Les Rita. É uma dupla francesa formada no começo dos anos 80. Ela, Catherine Ringer (não, Rita Mitsouko não é o nome da vocalista) era atriz pornô de filmes escatológicos (afe, eu gosto disso, né?) e deu mais do que a volta por cima. Tem uma voz ABSURDA, letras inteligentíssimas e um instrumental minimalista delicioso. A dupla existia até ano passado, quando ele, Fred Chichin, morreu de câncer. O último álbum deles, de 2007, é ótimo também.
Melhores faixas: "Les Histories d'amour", "C'est Comme Ça", "Un Soir Un Chien"


"The Sound of McAlmont & Butler"
Suede é minha banda favorita. Bernard Butler era guitarrista do Suede até 94, quando deixou a banda para "viver outras experiências". Seu primeiro projeto foi esse, uma dupla com o cantor de soul David McAlmont. Lançaram dois singles, com diversos b-sides, que foram compilados neste álbum, em 1995. É um som bem épico, mistura de soul, pop e guitar, com letras assumidamente gays. Coisa de músico talentoso mesmo. Depois disso eles só voltariam a gravar juntos em 2002 (e o segundo álbum não é tão legal). Consegui autografar esse cd com eles, em Londres. Não só por isso é meu favorito. Mas eu gosto de TUDO o que Bernard Butler faz.
Melhores faixas: "The Right Thing", "Don't Call it Soul" e "You Do"


"This World & Body" - Marion
Uma banda esquecida e injustiçada do Brit Pop. Marion lembra muito, muito, muito o Killers, só que a voz de James Harding é mais sexy e ele é beeeeeeeeeeeeeem mais gatinho. Sério, me masturbo toda vez que ouço (hahaha). Pena que só lançaram dois álbuns. Este é o primeiro e melhor, de 1995 (o ano do Brit Pop). Aliás, como tem cd de 95 nesta lista, hein?
Melhores faixas: "Sleep", "Toys for Boys", "Time" e "Vanessa"
"Tin Drum" - Japan
Conhece o Japan? É uma banda de new wave, mistura de Roxy Music com Duran Duran e influências orientais (!). Tem um trabalho bem consistente. Este álbum de 81 é super chique, com instrumentos exóticos (como cuíca!) e um clima "fui no bambuzal, fazer arroz; surgiram uns ninjas inimigos e saquei meu nunchaku".
Melhores faixas: "The Art of Parties", "Visions of China", "Cantonese Boy".


"Home" - Chiara Mastroianni e Benjamin Biolay
Eles eram casados, mas acho que separaram.... Ela é filha de Marcelo Mastroiani com Catherine Deneuve. Não canta muito, mas essa é a graça; um som meio "je t'aime", mistura de folk e lounge, bem chique. Descobri esse cd (de 2004), em 2007, meio por acaso, na Argentina.
Melhores faixas: "A House is Not A Home", "She's My Baby" e "Dance Rock and Roll"



"Olhar Brasileiro" - Eduardo Dusek
Você precisa ouvir esse disco. Eduardo Dussek (que na época só assinava com um "S") não tem só faixas engraçadinhas não. Neste álbum de estréia (de 81) faz graça, faz nonsense e faz poesia. Escute a faixa título, por exemplo, um chorinho de chorar de lindo. Já encontrei Dussek algumas vezes, mas ainda falta eu pedir para ele autografar.
Melhores faixas: "Chocante", "Nostradamus", "Olhar Brasileiro" e "Singapura"


"War" - U2
Tá. Tô zoando.

QUANTO GANHA UM ESCRITOR

Com Paulo Scott na Garopa Literária Aqui em Maresias. Na casa que Murilo alugou. Cheguei nesta noite fria de sábado e fui fazer um ch...