15/09/2014

EXTREMA


Acabo de voltar do Primeiro Festival Literário de Extrema, uma cidadezinha linda na divisa de Minas com São Paulo. Foram mesas sobre literatura, shows, oficinas e conversas com estudantes numa programação bem variada, que contemplou vários tipos de literatura, como não se costuma ver.


Sempre de biquinho 


Cheguei na manhã de sábado já direto para um bate-papo com estudantes adolescentes que haviam lido Garotos Malditos, meu romance juvenil. Foi das melhores mesas que já tive; conversar com quem de fato já leu seu livro faz toda a diferença - e para mim esse foi o ponto alto do Festival, não apenas levar os autores, mas conseguir que seus livros fossem adotados previamente nos colégios locais. A plateia estava lotada e a molecada (de 12 a 16) bem interessada. Pareciam mesmo empolgados com o livro - lindo que o Garotos Malditos continue encontrando seu público. Fizeram perguntas bem pontuais sobre a trama do livro, algumas até que eu não lembrava mais e foram respondidas por outros alunos presentes. Cobraram uma continuação e discuti com eles possíveis desdobramentos da trama, então eles puderam entender um pouco como funciona o processo de um autor. Terminamos lendo um trecho escolhido por eles, com diferentes alunos fazendo a voz dos personagens. Inesquecível.

Garotada lindinha... fazendo chifrinho.

Giulia e Cadão.

Também tive uma mesa sobre literatura de terror no domingo, com a querida Giulia Moon, mediados por Cadão Volpato. Essa foi um pouco decepcionante. A praça estava vazia no domingo e deixaram de avisar o público nos altofalantes, então estava bem vazia. Foi mais uma conversa informal entre nós e o pouco público presente.


Andrea Del Fuego também teve uma mesa com estudantes que leram o seu As Miniaturas.

Fora as mesas literárias, tivemos as costumeiras mesas de almoço, de cachaça. Encontrei amigos queridos como a Del Fuego, e pude conhecer gente muito bacana como a Anna Claudia Ramos, reencontrar o Carrascoza. Murilo foi comigo e aproveitamos um pouco da piscina do hotel e comemos petiscos típicos que estavam numa competição de "comida de boteco" nas barraquinhas da praça principal. Valeu bem, pena ter sido tudo bem corrido, sem chances de cachoeiras, trilhas, asa-delta...


Piscininha...


Murilo, eu, Leo Cunha, Giulia, Anna Claudia Ramos, Luis Fernando Emediato, Carrascoza e esposa. 

É que sempre falo, nesses eventos é que a gente vê que todo autor tem seus dilemas, suas crises, todos enfrentam algum tipo de preconceito ou resistência, cada um busca ampliar um espaço que é sempre muito restrito. Me deixa mais seguro de que o único jeito é fazer o que eu sei, o que eu acredito, seguir na minha própria onda e batalhar para que ela se espalhe o mais longe possível. A cada mesa que assisto, com cada escritor que converso, tenho mais vontade de voltar para casa e escrever meu próprio grande romance do século...


 Com Marcelo Spomberg, organizador do evento, e a Giulia Moon. 



E lá estavam pilhas de meus livros, em destaque na livraria da praça. 

COELHA VAMPIRA

Ilustração de Marcos Garuti para meu conto, na Revista E.                  Na noite de 28 de março de 2017, o escritor gaúcho João ...