18/12/2015

ENTÃO É NATAL...

Na vila do Papai Noel, na Lapônia. (Não me pergunte por quê, mas já fui três vezes pra essa bagaça)


A menina senta no colo do papai Noel: 

"Papai Noel, você rói unha?"

"Roo-roo-roo"

Então é Natal! E como é para falar de coisas bonitas e alegres, resolvi compartilhar com vocês minha playlist de clássicos natalinos. Pensei em fazer no Soundcloud, mas dá um trabalho desgraçado editar as músicas e depois só a Ivana Arruda Leite e mais meia dúzia de pessoas escutam. Mais fácil disponibilizar algumas dicas aqui via Youtube e vocês que corram atrás. 

Vamos lá: 


Acabei de baixar o CD de Natal da Kylie Minogue. E é ÓTIMO. Sério, melhor CD dela em muito tempo, dos melhores álbuns natalinos de TODOS OS TEMPOS. São 16 faixas na edição de luxo, incluindo muitos standards em arranjos clássicos, um ou outro som mais dance, músicas natalinas inéditas e alguns covers interessantes como de "Only You" (da Alison Moyet, que não é bem uma música natalina). Tem até um cover dela com o Iggy Pop. Geralmente quando um artista grava álbum de Natal é porque não sabe mais o que fazer para vender disco no final de ano, mas Kylie fez bonito. Uma delícia. 



Esse é provavelmente o álbum natalino mais clássico que existe (e o vídeo tem o álbum inteiro; disponha). Lançado originalmente em 1963, apresenta os maiores sucessos interpretados por girl groups como as Ronettes, com a produção do lendário Phil Spector. Para um bom Natal das antigas. 


A dupla norueguesa Röyksopp - das minhas favoritas de todos os tempos - há alguns anos disponibilizou essa faixa natalina para download gratuito. Cover de uma música não tão conhecida por aqui, que apesar da roupagem eletrônica não deixa de ver uma vibe bem natalina, etérea; dá para tocar no jantar de família sem medo. 


A versão de Santa Claus is Coming to Town da Cyndi Lauper com o Frank Sinatra é das mais clássicas (e foi bem copiada pela Kylie no disco novo). 


Falando em clássicos, Bing Crosby gravou vários. O tema da "rena do nariz vermelho" é dos meus favoritos. Clássico com uma pegada kitsch. 


Os Jackson 5 também gravaram um álbum de Natal em 1970, com diversos clássicos. Minha favorita é essa, Frosty the Snowman. 


Simplesmente outra das mais clássicas que se pode ter. 


Annie Lennox lançou um CD solo de Natal em 2010, provavelmente quando não sabia o que gravar, e é um disco bem fraquinho. Mas essa versão de Winter Wonderland que ela gravou com os Eurythmics para uma coletânea de 1987 é bem bacana. 


Entrando num terreno trash, Jordy, aquele francesinho fofinho, também gravou um álbum de Natal em 1993 (basicamente para tentar capitalizar seu sucesso no ano). Tem músicas inéditas e versões dance para clássicos franceses de Natal. 


O Brasil tem poucos temas natalinos, sendo a maioria versões em português de músicas de fora. Mas Assis Valente, compositor de Carmen Miranda, escreveu essa que, pelo menos na minha casa, é um clássico. Tem uma letra bem deprê (especialmente sabendo que ele se suicidou por dívidas): "já faz tempo que eu pedi, mas o meu Papai Noel não vem. Com certeza já morreu, ou então felicidade é brinquedo que não tem." Continua atualíssima no Natal 2015. 


E para ter vários temas natalinos revisitados nos tempos politicamente corretos, fique com Jon Cozart, gatcheeenho norte-americano que grava tudo sozinho, a capela, em arranjos geniais. 



Silent Night (a versão original de Noite Feliz) já foi gravada trocentas vezes, mas continuo achando a versão da Sinéad a melhor. Tristíssima, dá para você colocar no fim da festa, quando quiser que a família vá embora. 


Se o povo não for embora, apele para essa versão da MARLI!



E essa fica de bônus. Para mim, não deixa de ser um clássico. E não creio que ainda tenha menos de dez mil visualizações. (Só eu partilhei essa porra umas dez mil vezes...)


AH! Quase esquecendo. Fique com essa também, da melhor boy band de todos os tempos. É um tema de ano novo, pois na Rússia a comemoração e a troca de presentes se dão principalmente na virada. É para entrar em 2016 com o pé direito. 



ESTRADA

Não sei porque colocaram só meu sobrenome, mas achei chique.  Finalmente o ano está começando para mim. Já voltei para São Paulo e sem...