21/10/2004

A NOVA NOITE DO MEU BEM

Aos 27 anos, a gente começa a perceber que todo mundo vai se encaixando. Alguns mais tortos, outros retinhos, mas todos vivendo suas próprias vidas, casando, encaminhados nas carreiras, deixando de se perguntar "o que ser quando crescer?"

Duas das minhas ex-namoradas, a Camila e a Fabbie, já se casaram. Ai, ai, ai...

Dos amigos próximos, nenhum escritor, mas muitosDJS e músicos, como o Dan Nakagawa, o Nicolas do Lastpain, a Vanessa do Ludov, o Rangel dos Corações em Fúria. Eu cheguei a tocar teclado numa banda, o "Viva Violet". Era divertidíssimo, uma coisa meio glam, com músicas chamadas "Milk & Champagne", "Are You WildE’nough" e "Blame it to My Vinyl Pants", haaha. Coisa de adolescente. A gente tocou algumas vezes no falecido Retrô.

Graças a Deus livrei o mundo desse zumbido.

Mas o Leandro, que era vocalista, felizmente seguiu em frente. Como ele sempre foi apaixonado por anos 80, acabou fazendo o que há de mais moderno nesses tempos, elektro.

"Multiplex" é o inteligentíssimo projeto dele. Mistura bases eletrônicas com um vocal poderoso, influenciado por Cauby Peixoto, Ney Matogrosso e outros MPBistas glamurosos. As letras também vão nessa linha. O que dizer de um refrão como esse?

"Moderno vai, moderno vem,
como é moderna a noite do meu bem.
Na rua Augusta, Consolação também.
Como é moderna a noite do meu bem."

Ou então:

"Dance comigo,
beba, meu amigo, eu não ligo,
eu não sei o que dizer."

Isso é para quem acha que Elektro é só um bando de garotas lesadinhas maquiadas gritando o nome dos amigos. Entenderam, não é?

Vocês podem conhecer melhor o Multiplex e baixar faixas deles no site da Trama www.tramavirtual.com.br

LEVE NEVE

Com minha herdeira, a Trevosinha Valentina.  Lançamento ontem em São Paulo. São Paulo é o que conta - é minha casa, minha base, daqui...