17/12/2011

SUEDE VIVE!
Suede @ Glavclub, São Petersburgo, Rússia.


São Petersburgo fica só a 3 horas e meia de Helsinque. E quando estive aqui pela primeira vez em outubro, fiquei louco de vontade de voltar. Não poderia haver melhor oportunidade do que neste final de semana, com Suede, a banda da minha vida, tocando na cidade. Agora já posso morrer feliz.

A banda voltou no ano passado, depois de sete anos separados, fazendo previsivelmente uma turnê de "maiores sucessos." Eu estava preparado para a emoção nostálgica de ouvir "Trash", "Animal Nitrate" e tantas outras que já escutei algumas milhares de vezes nesses quase VINTE ANOS (nossa!) de que sou fã da banda. Mas quem sabe uma ou outra música nova? Achei o último álbum solo do (vocalista) Brett Anderson, Black Rainbows, bem bom, e até me perguntava se não seria mais legal ver um show dele mesmo. Mas a apresentação de ontem teve grandes, grandes surpresas...

Brett Anderson em ótima forma, segurando as letras novas.


Foram SETE músicas novas, deixando claro que vem um novo álbum por aí. Elas seguem bem a pegada do último disco solo do Brett, roquezinhos básicos, sem grandes firulas e solos de guitarra (que eram marca registrada do Suede). Ele disse apenas o nome de uma ("Sabotage") e cantou todas segurando um papel com as letras, prova de que são fresquinhas-fresquinhas. Eu até gravei um pedaço de uma, mas não estou conseguindo postar com a conexão deste hotel; de qualquer forma, dá para ver clipes de outras pessoas procurando por "Suede St. Petersburg" no Youtube (mas o meu tá gravado bem mais pertinho do palco, haha).


Neil Codling, fazendo cara de paisagem como sempre.

Fora as músicas novas, 13 grandes sucessos. Só teve uma balada no bis ("Saturday Night"); foi um show inteiro de rock bem energético, com casa lotada e platéia bem animada, povo bem indie rock, fã mesmo. Foi lindo todo mundo cantando "traaaaaash, you and me, we're the litter on the breeze..."

Brett Anderson está em ótima forma aos 44 anos, com um mega tanquinho (que deu para ver depois que ele desabotou quase toda a camisa, encharcada de suor) e peito peludinho, haha. Ele não falou praticamente nada com a plateia (só o "obrigado" padrão), mas em diversos momentos foi à grade tocou no povo e se deixou ser agarrado. A banda é a formação de 96 (Richard Oakes, Matt Osman, Neil Codling, Simon Gilbert), mas achei eles meio apagados. Mesmo nas músicas antigas, os solos de guitarra foram diminuídos (como em "She") o instrumental ficou mais básico, parecem músicos de apoio para um cantor solo.

Enfim, dos três show do Suede que eu assisti (foram outros dois em Londres, em 2002), esse foi sem dúvida o melhor, mais divertido e animado. Agora estou ansioso pelo álbum novo (que ainda não está sendo gravado).

Eu tinha um plano de encontrar Brett Anderson depois do show, injetar com ele aquela nova droga russa "krokodil" e compor com ele "We are the Crocodiles". Eu já tenho até o refrão: "We are the crocodiles / crawling around with style / You and me, crocodiles / the gold new age of reptiles", hahaha. (Porra, diz aí, Rússia, crocodiles, Suede, era um bom final de história para mim...)

O set list completo

Nova (The Only)
Nova (Someone Better)
Nova (I Don't Know Why)
Trash
Filmstar
Animal Nitrate
We are the Pigs
Nova (Falling Planes)
She
Killing of a Flash Boy
Cant Get Enough
Everything Will Flow
Nova (Future Nightmare)
Nova (Cold War)
Sabotage (nova)
So Young
Metal Mickey
Heroine
New Generation
Beautiful Ones

Saturday Night



Fico aqui em São Petersburgo só até amanhã, daí pego o trem de volta para Helsinque. A Rússia continua linda.

O coraçãozinho não era meu não, mas podia ser...

VIVA LA RESISTENCIA

Do alto de Medellin.  Voltando da Colômbia, após cinco dias em Medellin, numa daquelas viagens mais proveitosas do que divertidas. Via...