14/11/2004

PIRANHAS ARRANCARAM MEUS OLHOS DOS LIVROS

Neste final de semana, fui para a casa da minha mãe no interior paulista. É uma casa super gostosa, no meio do mato, construída por ela mesma (ALIÁS, vai sair na Casa Cláudia – ou Casa & Jardim? - de janeiro).

O problema é que deixei de dirigir há alguns anos e sou meio perdidinho. Então acabei perdendo a saída e desci do ônibus DOZE quilômetros a frente. Tive de andar a pé duas horas pelas Castelo Branco, de mochila nas costas, para chegar até a casa da minha mãe. Mas foi bom, eu preciso mesmo de exercícios diários intensos para manter a cabeça em ordem...

Lá também pude relaxar com essas coizinhas boas do campo: lareira, nosso lindo pastor-alemão Tomé e os mais de QUATRO MIL livros que formam a biblioteca da minha mãe (outro dia até encontrei um vendedor da Livraria Cultura que comentou isso comigo. Parece que a "ficha" da minha mãe lá é de impressionar, haha).

Sempre eu colaboro para esvaziar um pouco as prateleiras dela, para que os livros não se tornem um vírus que tome conta de todos os cômodos. Dessa vez eu voltei com as Ficções Completas do Guimarães Rosa, em dois volume da Nova Aguilar. (o Guimarães nunca foi um dos meus heróis, por isso mesmo preciso ler mais...)

Lá eu li também outro conto fodíssimo do Paulo Henriques Britto, "O Companheiro de Quarto", publicado na revista literária Ficções 1. Não é porque ele acabou de ganhar o Portugal Telecom não. Os livros de poesia dele mesmo eu não conheço. Mas os contos que eu já li são estupendos (para ficar entre meus heróis, sim). Ele inclusive publicou um conto também na Ficções 12, em que eu participo com o meu conto "Pó de Vidro e Veneno de Cobra." E ainda impressiona como tradutor. Li uma ótima tradução dele para "A Artista do Corpo", novela do Don Delillo que ganhei de presente do (poeta) Donizete Galvão.

Enfim, como não consegui roubar essa Ficções 1 da minha mãe (ei, tem alguém da 7 Letras aí?), acabei achando o texto na net. Vocês podem ler "O Companheiro de Quarto", do Paulo Henriques Britto, no site da 7 Letras. Entre no www.7letras.com.br, clique em "ficções – 1, que o conto tá lá, na íntegra. Eu mesmo detesto ler contos na net, mas para quem curte, recomendo esse.

De resto, li algumas entrevistas com Burroughs e Ginsberg, fiquei vendo os documentários de répteis da National Geographic, um documentário sobre uma balsa que afundou na Estônia e o filme PIRANHAS 2 – ASSASSINAS VOADORAS – praticamente uma obra-prima do Escher, ahahah.

UM ANO TREVOSO

Saindo do poço... Não foi fácil para ninguém, não se engane. Não foi fácil para mim. Estava revendo há pouco minhas retrospectivas de a...